Escolhidos para você

64 posts encontrados na tag cinema

As aventuras das irmãs Elsa e Anna são sucesso desde o lançamento do primeiro filme em 2013. Tanto que as duas nem fazem parte da franquia Princesas Disney, e sim possuem uma franquia própria chamada Frozen (quem pode, pode!). Na semana passada, a sequência Frozen II estreou nos EUA e Europa, e é claro que o tio Mickey já esperava encher os bolsos, mas até ele se surpreendeu, pois o filme superou as expectativas e não só foi um sucesso estrondoso como também quebrou recordes!

Em sua primeira semana, Frozen II arrecadou mais de 350 milhões de dólares em bilheteria. Isso o torna a animação com a maior estreia global da história do cinema. Até então, quem detinha o título era A Era do Gelo 3.

Um detalhe importante que vale ressaltar é que Frozen II ainda não estreou no mundo todo, ou seja, esse valor ainda pode triplicar! No Brasil, por exemplo, o filme só chega aos cinemas em 2 de janeiro com o comediante Fabio Porchat reprisando sua versão nacional do amado boneco de neve Olaf.

Originalmente, Frozen é baseado no conto do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen “A Rainha da Neve”. Na versão Disney, a rainha da neve é Elsa, que precisa aprender a controlar seus poderes e, para isso, decide se isolar nas montanhas. Sua irmã mais nova, a princesa Anna, não aceita esse isolamento e acredita que pode ajuda-la, então vai atrás dela contando com o apoio de Kristoff e sua rena Sven e o boneco de neve Olaf. A história acabou se desenrolando em mais três curtas metragens que mostram o relacionamento das irmãs, agora governantes do reino de Arendelle. O novo filme, Frozen II, chega para nos mostrar a origem dos poderes de Elsa.

Enquanto Frozen II não chega por aqui, assista ao trailer abaixo e ouça a trilha sonora, que conta com nomes como Aurora e Panic! At The Disco, clicando aqui!

A Disney está apostando todas as suas fichas em Vingadores: Ultimato e a campanha para o Oscar segue firme e forte! Não é pra menos, afinal o longa se tornou a maior bilheteria da história do cinema, então nada mais justo que uma estatueta, né?! A empresa do Mickey listou o filme da Marvel em 14 categorias:

  1. Melhor Filme – Kevin Feige
  2. Melhor Diretor – Anthony e Joe Russo
  3. Melhor Roteiro Adaptado – Christopher Markus e Stephen McFeely
  4. Melhor Ator Coadjuvante – Robert Downey Jr., Chris Evans, Mark Ruffalo, Chris Hemsworth, Jeremy Renner, Josh Brolin, Paul Rudd, Don Cheadle
  5. Melhor Atriz Coadjuvante – Scarlett Johansson, Gwyneth Paltrow, Zoe Saldana, Karen Gillan, Brie Larson
  6. Melhor Cinematografia – Trent Opaloch
  7. Melhor Edição de Filme – Jeffrey Ford, Matthew Schmidt
  8. Melhor Design de Produção – Charles Wood, Leslie A. Pope
  9. Melhor Design de Figurino – Judianna Makovsky
  10. Melhor Maquiagem e Cabelo – John Blak, Janine Thompson, Brian Sipe
  11. Melhor Mixagem de Som – Tom Johnson, Juan Peralta, John Pritchett
  12. Melhor Edição Sonora – Shannon Mills, Daniel Laurie
  13. Melhores Efeitos Visuais – Dan DeLeeuw, Matt Aitken, Russell Earl, Dan Sudick
  14. Melhor Trilha-Sonora Original – Alan Silvestri

Ainda não se sabe se a Academia irá considerar a obra para todas essas categorias e poucas pessoas botam fé em produções de super-heróis, mas vale lembrar que ano passado Pantera Negra conquistou três estatuetas e Vingadores: Guerra Infinita chegou a concorrer na categoria de efeitos especiais. O Oscar 2020 está marcado para acontecer no dia 9 de fevereiro, em Los Angeles.

Falando nisso…

Ontem foi lançado o serviço de streaming Disney+ nos EUA já trazendo muito conteúdo exclusivo, entre eles a cena de Tony Stark encontrando sua filha adulta na joia da alma, após estalar os dedos e salvar a humanidade de Thanos. A cena com a atriz Katherine Langford acabou ficando de fora da edição final. Assista na íntegra:

A Disney+ deve chegar ao Brasil no segundo semestre de 2020.

Semana passada tivemos a estréia de Coringa nos cinemas. Desde o início o filme tem sido muito polêmico. Não apenas sobre a boa representação do ator, mas as discussões foram mais a fundo chegando inclusive ao questionamento se o filme poderia influenciar o público ao ponto de “criar outros coringas”. Bem eu assisti o filme e vou contar tudo o que achei para vocês!

Fomos conferir o novo filme do Coringa

Eu confesso que não estava muito animada com esse filme no começo. Não estava botando muita fé na DC, porque a minha sensação – e a de muitos- é de que a empresa anda meio perdida sobre qual caminho deve seguir nos cinemas. Eles estão sempre se equilibrando entre o cômico e filmes família; e os filmes trevosos e realistas. Mas para mim a DC sempre foi o primo gótico da família dos quadrinhos, acho que eles deveriam  continuar investindo nesse caminho e foi o que eles fizeram em Coringa! Eu espero que agora, depois desse filme a DC tenha encontrado o seu rumo. E cabe a nós aceitar que a DC é sim um tipo de quadrinho e filme que não é para toda a família.

É muito difícil comentar se gostei ou não do filme Coringa, pois ao passo que ele é um filme incrível em visual, atuação e ambientação, ele é um filme que de deixa com mal estar, incomodado e pensativo.

O filme joga diversos assuntos que a sociedade não esta preparada para discutir ainda; e também não está muito preparada para lidar e dar suporte as doenças e distúrbios mentais. Esses assuntos ainda são muito delicados, e compreende-los é uma questão em andamento na nossa sociedade.

Joaquim Fenix, o coringa, começou o estudo de criação de seu personagem pesquisando diversas doenças e transtornos mentais. O que claramente vemos em sua atuação, o mais forte deles é  a risada descontrolada do personagem, que é referencia a um distúrbio chamado Risada Patológica. e Olha… a risada dele, que é sem dúvida alguma a característica mais marcante do coringa, DÁ MEDO. A jornada da perda de noção de realidade, e como o personagem vai sendo quebrado, e vai se quebrando também foi feita de maneira incrível. E ao mesmo tempo que vemos uma lado frágil, sem confiança, triste e pequeno ser quebrado, temos também a formação de um outro lado grande, confiante, completamente maluco se formando.

Fomos conferir o novo filme do Coringa

As musicas são incríveis, e funcionam de forma absurda com o filme. As letras complementam pensamentos e frases e situações do filme. Elas ajudam a trazer um tom de cinismo para o filme que funcionou muito bem.

O filme é um grande estudo e uma grande obra de reflexão a respeito de um dos personagens mais caóticos do mundo dos quadrinhos. O coringa é um personagem que trás esse tipo de sentimento dúbio para as pessoas. Temos a completa noção de que ele é um assassino, psicopata, maluco do mais alto nível, mas ainda sim é um dos vilões mais brilhantes que eu já conheci. e foi isso que senti nesse filme. Temos um personagem que é claramente maluco, psicótico e com as piores tendências assassinas, mas que também sabe mostrar uma genialidade, e sabe trabalhar dentro da sua loucura.

O filme é pesado e denso sim! E eu não indicaria para ninguém que tem filhos menores de 16 anos, ver esse filme. Por conta dos assuntos pesados que ele trata e da sua violência. Ele vem com essa pegada mais realista e mais obscura da DC que eu particularmente gosto. E se Joaquim Fenix não for ao Oscar com essa atuação… O Oscar é uma mentira!