Escolhidos para você

8 posts encontrados na tag Capcom

Na sexta feira passada tivemos um dos lançamentos mais aguardados de 2020 do primeiro semestre. Saiu o remake de Resident Evil 3, jogo clássico da franquia que tem um dos personagens mais amados dos games, o Nemesis. Joguei o jogo e venho contar para vocês o que eu achei.

O jogo é ambientado ainda em Raccon City, mesmo cenário de remake do Resident Evil 2, como já sabemos, porém agora vamos ter acesso a outros lugares que não fomos nem com Leon e nem com a Clair.  Agora vamos jogar na pele de Jill Valentine e Carlos (o BR do jogo, VAI BRASIIIL) Para quem jogou a primeira versão do jogo vai notar algumas diferenças, sendo ela a mais obvia e gritante os gráficos. Não tem o que falar dos gráficos, o jogo esta incrível! Muito bonito em todos os sentidos, as personagens são super realistas (inclusive acho que a Jill esta a cara da Mila Jovovich, seria isso uma coincidência ou uma homenagem??), o Nemesis então, nem se fala, o bicho da medo! Agora, uma coisa que eu não pude deixar de notar é como zuaram o cabelo do Carlos… coitado.

A ambientação do jogo é bem legal, as musicas ajudam a criar o clima de tensão nos momentos certos, ou de desespero, quando o Nemesis esta te perseguindo, e uma diferença bem grande do remake é que o Nemesis agora esta no seu pé desde os 5 primeiros minutos do jogo, o que deixa tudo mais tenso, o que só acontecia no meio da primeira versão. Explorar os cenários agora se tornou uma tarefa bem mais tensa. De uma certa forma, podemos ver que a Capcom percebeu o que deu certo no remake de R.E 2 e trouxo melhorias e novas mecânicas para essa nova versão de R.E 3. a esquiva é a grande novidade que também foi apresentada na primeira versão do jogo. Porém o inventário desse jogo é menor, o que te obriga a pensar muito bem no que vai ficar carregando por ai.

A maior mudança mesmo veio na história do jogo, como disse ali em cima o Nemesis agora te persegue desde o começo, além de que o jogo passou por alguns cortes, onde áreas antigas foram removidas e algumas novas foram adicionadas, o que vai de encontro com a promessa que a Capcom fez logo no início dos anuncio, que esse remake seria uma reimaginação do jogo original, então era de se esperar que algumas alterações fossem acontecer mesmo. Porém várias pessoas, e eu também sentimos falta de mais puzzles, que sempre foi uma marca bem improntante da franquia, além da cena da torre do relógio, que nessa versão é apenas um pano de fundo.

Uma das maiores reclamações, é que em comparação com o remake do 1 e do 2, esse jogo veio bem menor que os outros. Em 4-5 horas você consegue zerar o jogo com tranquilidade. Esse foi um fator que não agradou muito os fãs. Porém para uma nova geração de fás que vem crescendo com o lançamento do remake ele deve ser bem satisfatório. O jogo esta disponível para todas as plataformas (Playstation, C-box One e PC) e esta na faixa dos 249,50 e R$ 129,99 (esse último para pc)

 

O que você achou do jogo?

 

 

 

Semana passada a Capcom liberou a todos os usuários de PS4, Xbox One e PC uma demo de 30 minutos que pode ser jogada, e olha, eu preciso dizer que esta pra lá de incrível! 

Testei o game tanto no PS4 quanto no PC e não tenho do que reclamar. Os gráfico estão perfeitamente atualizados e não é só isso. Diferente do remake do primeiro jogo, esse daqui não teve apenas os gráfico atualizado, o modo de câmera foi atualizado também. Para quem lembra a jogabilidade do Resident Evil 2 era um pouco complexa, já que a câmera era estática e se movia apenas de acordo com a movimentação do personagem, ou seja, o jogador não tinha nenhum controle de visão. Para esse remake a câmera é totalmente controlado por nós, jogadores.

Um segundo ponto que eu gostaria de ressaltar é que no remake de R.E 1, nada além dos gráficos, ou seja, a ambientação e o clima do jogo continuaram o mesmo que foram usados em 1996 data de lançamento do jogo. Claramente algo que assustava em 1996 não funciona mais nos dias atuais, e essa foi uma das preocupações com a nova versão de R.E 2. O jogo agora é mais escuro, com sons novos, e jump scares que deixam o jogador muito mais ansioso e tenso.

É bem legal ver essa evolução na a preocupação da Capcom com a atualização do seus jogos, podemo ver que eles estão empenhados em não só entregar um jogo mais bonito apenas pela nostalgia e sim uma nova experiencia tanto para os fãs da série como os novos jogadores. Espero ter esse tipo de atitude para os outros estúdios que estão empenhados em trazer remakes de jogos clássicos.

Então corre lá na sua plataforma e baixe a demo que esta gratuita! O jogo estará disponível completo em todas as plataformas dia 25 de janeiro.

E aí galera do PPN, como estão?

Finalmente é chegada a hora do lançamento de Mega Man 11, marcando o retorno icônico robô azul aos games. E o que posso dizer é que temos uma mistura de nostalgia com gráficos e física mais atuais, o que torna ainda mais imersiva a experiência de se jogar este clássico.

Tive a oportunidade de testá-lo no Nintendo Switch e constatar a nova gameplay inserida, bem como os controles e comandos. Mega Man nunca foi muito minha praia, por assim dizer, não sou dos melhores jogadores desse game e sempre o considerei um game de nível médio para difícil. Sub-chefes e chefes podem ser um pesadelo enquanto você não pegar o time de seus movimentos. E ainda assim poderá sentir certa dificuldade. 

E isso está presente no Mega Man 11, instantaneamente lembrei daqueles dias da infância e de como era tenso passar algumas fases e algumas partes de outras. Os inimigos comuns continuam sendo uma pedra no sapato em certos momentos. Entretanto, temos a ajuda de Rush, o fiel “cãopanheiro” de Mega, que ajuda e muito a avançar nas horas mais complicadas.

Os controles me causaram certa dificuldade no início, pois é preciso se acostumar com a posição e utilização deles nas mais diversas situações. Além disso, há uma novidade… minto, duas na verdade. Bom, uma que se divide em duas: Engine Gear. Trata-se de um equipamento que agora faz parte das novas habilidades de Mega.

Uma lhe permite acumular mais energia e poder, realizando disparos ainda mais fortes, ajudando a derrubar inimigos mais rapidamente. A outra lhe permite ficar muito mais rápido, porém na visão dele é como se tudo ao seu redor se movesse bem lentamente, quase congelado. Assim as esquivas podem ficar mais eficientes, bem como acertar alvos que se movem rapidamente pela tela, aumentando a precisão do tiro.

É preciso saber equilibrar o uso da engine, pois ela não é infinita. E quanto mais utilizar, mais tempo irá levar para recarregá-la. E já ia me esquecendo, não é possível usá-las ao mesmo tempo, exceto se você estiver com pouca energia de vida.

Com isso, tenho que dizer que seria necessário horas de jogo para se adaptar às engines e assim tirar o máximo proveito delas nas lutas. Certamente esse elemento adicional deu um upgrade para Mega Man 11 ser um grande sucesso, assim como os games anteriores da franquia.

Bom pessoal, é isso aí! Mega Man 11 foi lançado esta semana para todas as plataformas.

GET READY!