Escolhidos para você

19 posts encontrados na tag Zelda

E ai pessoal. Esta semana está para chegar uma atualização no Super Mario Maker 2. A versão 2.0 trará uma grande reviravolta no jeito como fases poderão ser elaboradas e criadas. Novos inimigos, itens e mecânicas serão aplicadas.

 

It’s dangerous to go alone. Take this!

Sim, é isso mesmo que você leu. O item Master Sword será adicionado ao jogo e com ele Mario se transformará em Link. Mas fique atento, isto só será possível nos cenários versão 8 bits. Ao tocar no item, a transformação ocorrerá. Sendo assim, novas habilidades serão concedidas a Mario, alterando totalmente a mecânica de jogo.

Na verdade, estou em dúvida se ainda é o Mario ou o Link mesmo ali na tela. Isto porque as principais habilidades do Hylian estão presentes. É possível atacar e derrotar inimigos com a Master Sword, bem como utilizar o arco e flecha, inclusive para pegar itens inalcançáveis. Além disso, também temos a bomba para explodir blocos que estão em seu caminho, pular e atacar de espada ou ainda pular e mergulhar com o golpe de espada mais potente.

Realmente temos diversas possibilidades surgindo e renovando ainda mais o jogo. E eu fiquei muito contente com esta atualização, tanto que, comprar o jogo agora não é mais uma opção, sim uma necessidade. Hahahaha

Eu já imaginava até algo mais ou menos nesse sentido, capaz de trazer elementos de outras franquias para o jogo do Mario Maker. Afinal de contas, ele permite isso. Super Mario Maker 2 ainda pode ser muito mais refinado e trabalhado, mas obviamente que não incluirão demasiado conteúdo. Nem há necessidade disso. Com seu pouco tempo de vida, milhões de fases já foram acrescentadas e podem ser jogadas por qualquer um. Quanto mais novos elementos, mais ainda este número irá crescer, bem como o de jogadores.

Entretanto, é até dever da empresa também pensar no futuro da franquia que está apenas no seu segundo jogo. Por quanto tempo mais teremos versões de Mario Maker? Ainda não é possível realizar a construção de fases em 3D, devido claro à imensa quantidade de informação que o jogo precisaria carregar, mas quem sabe algum dia.

Finalmente o tão aguardado dia do lançamento de The Legend of Zelda – Link’s Awakening para Nintendo Switch chegou. Hoje, 20 de setembro, é o dia do lançamento oficial par ao remake do jogo homônimo de Gabme Boy e que também teve uma versão DX para Game Boy Color na década de 90.

Portanto, The Legend of Zelda – Link’s Awakening teve duas remasterizações. Na primeiro o game ganhou cores, uma nova dungeon e foi lançado no GBC. Enquanto que na segunda, para Switch, foi totalmente repaginado, mas manteve a mesma história e desafios. Vejamos a seguir.

Principais mudanças

The Legend of Zelda – Link’s Awakening para Nintendo Switch está totalmente em 3D. Além disso, suas cores e contraste estão maravilhosas, pois conseguem tanto deixar o ambiente vivo ou então assustador e misterioso. A aparência dos gráficos lembra o de uma maquete ou então aqueles cenários de Playmobil, como se fossem bonequinhos. Devo dizer que isso deu uma ar todo especial e carismático a um jogo que por si só já era assim.

Por outro lado, a história, as dungeons e desafios se mantiveram iguais. Mas ainda assim, deram um jeito de inserir novos elementos na gameplay. Um deles é o Chamber Dungeon. Nele você deve ajudar o coveiro Dampé a construir uma dungeon, mas para isso é necessário obter peças de dungeon. Lembra muito um quebra-cabeça.

Antigamente, para usar os itens era preciso ficar trocando-os nos botões. Agora, a espada e o escudo permanecem equipados o tempo todo, assim como pegasus boots e o power bracelet. Mas os demais itens continuam intercambiáveis.

Influência de Breath of The Wild

Parece que algumas coisas de Breath of The Wild, outro game da série, foram utilizadas aqui. Porque agora é possível marcar pins no mapa, bem como rever os principais diálogos numa lista. Fora que as principais áreas ficam com seus nomes bem evidentes na imagem do mapa. Inclusive, ao jogar, você irá notar que as bordas das áreas onde você está ficam com efeito de fade, remetendo à ideia de um sonho.

Outro ponto interessante é que temos o amiibo deste Link. Ele permitirá trazer o Shadow Link para sua Chamber Dungeon, aumentando o desafio da gameplay. Mas como se não bastasse um amiibo, você poderá utilizar outros para liberar algumas chambers. São eles: os amiibos do Link na versão Smash Bros. (original), Young Link e Skyward Sword, Zelda (BOTW) e Bokoblin.

No mais, The Legend of Zelda – Link’s Awakening continua maravilhoso e com sua essência. A mágica de sua época está presente nesta versão e para quem não jogou, será uma linda experiência.

Olá pausadores, essa semana a Nintendo chegou com uma surpresa para os fãs de Mario e Zelda, junto com o seu novo produto: o Nintendo LABO VR. Devo dizer que foi uma surpresa e tanto, pois de fato, ninguém esperava por isso.

A Nintendo, em sua conta oficial no Twitter, anunciou que os jogos de Mario (Super Mario Odyssey) e de Zelda (The Legend of Zelda: Breath of The Wild) receberam em breve uma atualização. Deste modo, o update anunciado trará funcionalidades extras aos jogos, permitindo assim que eles sejam jogáveis com o Nintendo LABO VR.

Tal atualização seria efetuada no dia de lançamento do Nintendo LABO VR.

 

Sem exaltações

Apesar desta notícia ter caído praticamente como uma bomb-omb, é melhor não se empolgar tanto. Digo isto porque a Nintendo ainda está começando a engatinhar na zona do VR, basta ver os kits VR de Nintendo LABO que serão lançados. Tais kits em com um conteúdo um tanto quanto limitado, seja graficamente, funcionalmente e de quantidade de horas de jogo per si.

Há uma séries de fatores (considerável número) que se tem de relevar num VR. Desde a taxa de fps do que se está rodando, até a forma como jogador poderá se utilizar dele.

Os VRs que já estão no mercado há algum tempo ainda possuem grandes dificuldades a serem trabalhadas e outras a serem melhoradas. Logo, temos de ponderar o trabalho que a Nintendo está tendo com o seu LABO VR, e considerar o esforço dela em trazer isto para os seus jogadores.

No meu ver, devemos aproveitar a oportunidade e mostrar que ela pode e deve investir em tal tecnologia, visando o futuro dos games. Afinal, tudo tem de começar de algum lugar e geralmente se começa do menor, de baixo, com coisas simples e testes, e aprimora-se.

Neste primeiro momento, os jogos de Mario e Zelda terão funcionalidades como 3 puzzles de coletar notas musicais e moedas nos reinos de Cap, Seaside e Luncheon Kingdoms. Enquanto isso, em Zelda, será possível ativar a função do VR no meu interno do jogo e ter um outro ângulo de visão do lindo reino de Hyrule.

Os updates (gratuitos) chegarão no Nintendo Switch em 24 de abril.