Escolhidos para você

4 posts encontrados na tag HP

Já que hoje eu quase perdi a minha prova por causa da manifestação que fechou a Avenida Brigadeiro Faria lima, em São Paulo, e levei o dobro do tempo para chegar em casa devido às interdições na região da Avenida Paulista que se mantiveram até 22:00 horas, me fazendo chegar em casa morta e dolorida prontinha para escrever esse post, porque não falarmos de Harry Potter e os movimentos estudantis!?

Sempre me pego surpresa com como Harry Potter é muito coerente com cada fase da evolução dos personagens principais. Mostrando não só problemas pertinentes à cada idade, mas também um narrador que foca em pontos de vista diferentes dependendo de em que fase da adolescência Harry está. Reparem bem, que até detalhes da narrativa bruta, que descreve cenários ou coisas que o Harry vê, começa muito mais básico e vai evoluindo em cada livro, não só em vocabulário como também em riqueza de detalhes e “pontos de interesse”.

Desa forma, vemos uma ruptura muito grande acontecer em Harry Potter e a Ordem da Fênix! O 5° livro é o momento onde os mundos de Harry, o bruxo e o trouxa, começam a se fundir. Para nos fazer ver como não importa em que país, posição social, ou cultura você vive, as questões importantes do mundo interferem, sim, em sua existência e merecem sim a sua atenção.

Nos filmes, a cena do voo por Londres, a caminho do Largo Grimmauld, com Harry e a Ordem passando por entre barcos, cidades, e se permitindo ver, ilustra isso de uma forma muito forte. Independente do decreto que exige que os bruxos vivam sem que os trouxas saibam de sua existência, esses mundos coexistem, ambos usufruem do mesmo mundo. A mesma Londres de pessoas de terninhos no metrô é a Londres onde fica a Sede da Ordem da Fênix, onde fica a resistência bruxa contra a tirania de Voldemort!

É nesse momento, aos 15 anos, que pela primeira vez uma batalha se apresenta aos personagens. Dessa vez não uma luta pela sua vida, mas uma que requer “livros e inteligência”. Uma batalha que mostra a frustração de Harry por perceber que ser apenas corajoso e sagaz não será o bastante no mundo lá fora, onde as forças das trevas se escondem e ganham espaço por trás da burocracia, se mantendo escondidas ao olhos de todos apenas pelo desejo que  os governantes tem de se manterem cegos e manter o povo feliz e confortável.

Os desmandos em Hogwarts, as perseguições à Harry e Dumbledore, são um exemplo muito forte do que vemos em dezenas de distopias por ai: panem et circe. Pão e circo.

A guerra que os estudantes travam contra Dolores Umbridge e as tentativas dela de transformar Hogwarts em uma extensão do gabinete do ministro da magia, de mostrar pera o bruxo médio que “tudo está bem” e que o que não está está sendo corrigido, é muito maior do que varinhas em punho. É uma batalha de inteligência, resiliência, é um imenso tabuleiro de xadrez! É ver onde as leis podem ser usadas para meios escusos, onde o “dentro da lei” nem sempre significa o correto e onde eles aprendem que nem sempre podemos deixar nossas vidas à mãos de nossos governantes e só vivermos confiado que eles estão fazendo o melhor por nós.

Ver, em Ordem da Fênix, como o ministro da magia, Cornélio Fudge, tentou tanto fazer tudo certo, tudo para por o mundo mágico “em ordem”, como ele cegamente acreditava nisso, como ele achou que Dumbledore e Harry estavam só querendo criar pânico, quando na verdade, era chegado o momento em que as leis estavam beneficiando o inimigo e que era o momento de mudar, de entender e não só mandar, de viver a comunidade que ele comandava, não só de trás do conforto do seu gabinete, mas nas ruas onde realmente o pânico já estava acontecendo, pessoas sumindo, famílias sendo ameaçadas e cuja voz não conseguia chegar nos subterrâneos de Londres, de onde Fudge só dizia “Tudo está bem!”, nos faz questionar, junto com o Harry, e aprender com ele que mesmo quando o inimigo tenta te fazer pensar que está isolado, quando seu motivo é nobre e tem valor, sempre haverá alguém para te apoiar e para se colocar à frente de uma revolução junto com você, seja ela uma luta contra uma Alta Inquisitora tirana, seja numa batalha mortal contra o Partido das Trevas!

A mim Harry sempre ensinou a sermos fortes e unidos, e vocês, qual foi maior lição que tiraram de Harry Potter?

Sim!!! Vocês leram o título desse post direito! Seria, Sibila Patricia Trelawney, demonizada como charlatã, injustamente? Vem comigo discutir mais uma Teoria do Mundo Mágico de Harry Potter! 😉 ESSE POST CONTÉM SPOILERS! CUIDADO! #SpoilerAlert

Como faço anualmente há APENAS 14 anos, estou relendo toda a saga de Harry Potter (minha idade jamais será revelada kkk) e, como sempre, estou observando coisas interessantes para discutir nas mesas de “bar nerd” da vida (desconheço, mas caso conheçam me chamem!), e uma das coisas que notei foi que talvez a pobre Sibila tenha sofrido durante anos um super hiper bullying e uma chacota enorme, até por conta de seus colegas de trabalho, injustamente! Será?

A soma do fato de que após sua antepassada vidente famosa, Cassandra Trelawney, Sibila tenha sida a primeira da família a demonstrar interesse e/ou aptidão para clarividência, com a sua forma amalucada de revelar os frutos dos seus estudos do futuro, sua mania de grandeza e seu sangue mestiço, sempre colocaram o suposto talento dela em questão. Sibila sempre foi acusada de charlatanismo, inclusive pela “sempre ética” Minerva Mcgonagall (Shame on you, Minerva!). O que notei de interessante, na minha releitura anual, é que EM MOMENTO ALGUM Sibila errou nas suas predileções! É UKÊ, PRODUÇÃO??????

Isso mesmo, caros nerds! Vamos relembrar algumas predileções corriqueiras de Sibila, no decorrer da saga: a xícara quebrada de Neville?, o abandono da aula por Hermione?, a notícia sobre Binky? Umbridge em grave perigo? Tá, claro! Todas essas correspondem à afirmação de Hermione de que a professora tem “palpites ocasionalmente certos e um modo misterioso de apresentá-los”! Tudo bem, concordo! Concordo até que em alguns desses casos a pentelhice da professora causou a materialização da profecia, como na indução ao nervosismo latente de Neville e na “pegação no pé” da Hermione.

Mas a primeira profecia de Sibila que realmente me fez duvidar de que algo de errado não estava certo foi a feita para Parvati Patil na primeira aula de adivinhação da turma: “A propósito, minha querida, tenha cuidado com um homem de cabelos ruivos!“. Tá, mas se a Parvati foi com o Harry no baile de inverno, dois anos depois e não ficou nada feliz com como foi o encontro, porque “cuidado com um homem de cabelos ruivos” me deixou pensativa? Seguinte: O que acho que quase ninguém notou foram as “entre linhas“! Jô tem o enorme hábito de dar dicas sobre coisas que acontecerão 3 livros na frente, de forma sutil, falando do tempo, de um encontrão na escada, bobagens triviais que quase ninguém dá atenção, então: o que aconteceu, em Enigma do Príncipe, que magoou e aborreceu muito Parvati, criatura dada a um egoísmo social ligeiro e extremamente apegada à amiga Lilá Brow, que tem relação com um homem de cabelos ruivos? Isso ai, meus caros! Lilá e Rony começaram a namorar! E como todos sabemos o relacionamento aborreceu Parvati desde a felicidade da obsessão de Lilá, até o término estranho e furioso por ciumes da Mione! Ahhhh, mas Aline, você tá forçando de mais a barra, não está? Não estou!

Querem mais? TALOKAY! TODAS as predileções que Sibila fez, de forma séria, sobre Harry, eram reais! T-O-D-A-S! MACUMÉKIÉ? Siiiiiim…e a dica está em O Cálice de Fogo, quando Sibila diz: “Você está preocupado, meu querido – disse ela tristemente a Harry. – Minha Visão Interior transpõe seu rosto corajoso e chega dentro de sua alma perturbada. E lamento dizer que as suas preocupações tem fundamento. Vejo tempos difíceis em seu futuro, ai de você… dificílimos… receio que a coisa que você teme realmente venha a acontecer… e talvez mais cedo do que pensa…” “Eu estava dizendo que Saturno com certeza estava numa posição dominante no céu na hora em que você nasceu… seus cabelos escuros… sua baixa estatura… suas perdas trágicas na infância… acho que estou certa ao afirmas, meu querido, que você nasceu em pleno inverno?” “Não – respondeu Harry – Nasci no verão.” NÃO, NASCI NO VERÃO!

Tá, mas se ela errou, como isso prova alguma coisa? Assim: quem de cabelos negros, com perdas na infância, alma perturbada, apesar da “face/imagem corajosa”, nasceu em pleno inverno? LORD VOLDEMORT, meus queridos! Siiiiiim! Harry, de alma e coração tão puros, possuía em seu íntimo, como todos sabemos, uma parte da alma de Lord Voldemort, e sendo essa parte maligna tão forte e presente em Harry, Sibila, cuja sensibilidade de vidente SIM existia, sentia as vibrações não de Harry Potter, como ela imaginava, mas sim do pedaço de alma de Voldemort, quando fazia sua predileções! Justo por isso, provavelmente, que foi na presença de Harry que Sibila realizou a profecia sobre o retorno do Lorde das Trevas… a energia que emanava da Horcrux presente em Harry afetava não somente seus tios, mas também a sensível e incompreendida vidente Sibila Trelawney!

Mas e “a coisa que você teme realmente venha a acontecer“? Naquele momento, Voldemort, estava colocando em prática o plano para seu retorno triunfal. Qual era a única coisa que poderia estragar os planos desse retorno tão bem planejado? Dumbledore! Dumbledore descobrir o que havia acontecido, como diz Lupin, tão sabiamente, em a Ordem da Fênix. Logo, mais uma profecia de Trelawney estava correta, poucos meses depois, mais cedo do que Voldemort imaginava, Dumbledore foi informado de seu retorno e começou a organizar a resistência contra o Partido das Trevas!

Ainda não se convenceu? Então pra fechar com chave de ouro e deixar você acordado pensando nisso a noite toda fiquem com essa: em Enigma do Príncipe, pouco antes de Harry e Dumbledore saírem para a busca pela Horcrux da caverna, que culmina na morte de Dumbledore, mais cedo do que ele imaginava acontecer, Harry cruza com Sibila no corredor da Sala Precisa, onde presencia Malfoy expulsando a professora a sala e no diálogo que se segue a professora afirma que tem tirado as cartas para Dumbledore e que elas tem algo sombrio à revelar, mas que o Diretor ignora seus avisos. “… A Torre atingida pelo raio: Calamidade. Catástrofe. Cada dia mais próxima…” e tal predileção estava deixando Sibila inquieta, irritada, ansiosa, por conta da proximidade com o ocorrido. As cartas GRITAVAM para Sibila que algo horrível estava para acontecer e mais uma vez ela não foi ouvida! E poucas horas depois, o castelo é invadido por Comensais da Morte e Snape se vê forçado a cumprir sua promessa à Dumbledore: matá-lo!

E aí? Acham que eu bebi xerez de mais, andei cheirando muito incenso, ou concordam comigo que estamos longe de desvendar todos os mistérios que JK Rowling incluiu na sua obra prima? Quero saber a opinião de vocês! 

Beijos e até a próxima! o/ #nox

Que a nova franquia derivada do universo mágico de J.K. Rowling não agradaria todo mundo, não haviam dúvidas, porém de acordo com o site americano DeadLine, as “baixas” notas da mídia especializada e as bilheterias abaixo do esperado, de Os Crimes de Grindelwald, motivaram um momento de desaceleração para reavaliar alguns rumos dos próximos filmes da saga Animais Fantásticos!

Até o momento a Warner Bros estava focada em agilizar ao máximo as produções para que os calendários prometidos fossem cumpridos, mas agora tomaram uma posição de adiar, se necessário, o laçamento de uma produção para que ela se desenvolva mais acertadamente.

A data prevista para o lançamento mundial de Animais Fantásticos 3 (ainda sem nome) era de 20 de novembro de 2020, porém com o adiamento do início das filmagens para final de 2019, é praticamente impossível que essa data seja mantida!

Claro que os motivos para esse adiamento não passam de especulações, pois, até o momento ninguém se pronunciou sobre o caso. Vindo do Mundo mágico de Harry Potter e da conhecida fama da Warner Bros por super produções, tal fato poderia ter sido motivado até mesmo por uma decisão de roteiro que colocaria as filmagens em uma determinada locação na estação errada do ano. Quem sabe? 🙂

Fato é que tendo O Crimes de Grindelwald ficado, até o momento, com a pior bilheteria mundial de toda a saga Harry Potter, apenas 644,6 milhões de dólares, essa reestruturação talvez seja um ato muito bem decidido para garantir a qualidade de uma das franquias mais rentáveis da história do cinema!

Há quem diga que “Harry Potter já deu!“! Para essa galera eu só posso dizer que o que já deu foi a minha mão na sua cara….OPS….desculpa…hahaha…Só posso dizer que o mundo fantástico de J. K. Rowling ainda tem muitas perguntas à responder e muitas pontas aguardando serem amarradas e tomando como base todo o conteúdo do Potter More, sabemos que amarras para essas pontas existem, basta saberem como expressar isso adequadamente!

Eu não sou da turma desapontada com Os Crimes de Grindelwald! E não é só pela minha “mania” de defender a Jô até o fim, mas sim porque eu entendi muito bem que era um filme de transição e com certeza os produtores e direção também sabiam disso. Sabiam que sendo um filme de transição a bilheteria não seria tão expressiva, por se tratar de um filme com ação contida, com picos de adrenalina suaves e muitas questões pessoais a serem exploradas!

O que eu acho mais curioso é que um dos filmes preferidos da grande maioria dos meus amigos PotterHeads é Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, que ocupa o posto de segunda pior bilheteria mundial, com 796,9 milhões de dólares. Isso para mim diz muita coisa! Prisioneiro fez muito mais sentido para mim quado o pacote se encerrou! A transição se iniciando entre uma grande guerra, o período de paz, onde conhecemos Harry e a próxima grande guerra bruxa que se aproxima, como lê tão bem Firenze nos astros em A Ordem da Fênix!

Eu, como quase sempre, sigo crente de que as melhores decisões estão sendo tomadas mesmo que não conheçamos o plano todo, e que temos que confiar na equipe envolvida, como Harry confiou em Dumbledore, mesmo quando tudo não fazia sentido e quando parecia que o grande mago estava metendo ele numa roubada! Hahaha

Eu sou do time #FénaJô e vocês? Estão aguardando ansiosamente o grande desvendar do mistério, como eu, ou já desistiram?