Escolhidos para você

5 posts encontrados na tag 20th Century Fox

E aí pessoal, tudo bem? Dragon Ball Super – Broly está sensacional. Fomos conferir em primeira mão pela Fox Films do Brasil o mais novo longa de Goku e seus amigos, que desta vez enfrentarão Broly, o lendário saiyajin. Entretanto, veja abaixo o que achamos dessa nova animação e do que ela promete para a saga Dragon Ball.

Sobre o filme

Bom, vamos começar pelo começo, é claro. Em Dragon Ball Super – Broly temos uma história de origem dos saiyajins e do próprio Broly. Inclusive é muito importante para compreender o que ele se tornou no presente. O que por sinal não é ruim, usaram de um tempo coerente e de uma fórmula muito boa para incluir essa parte da história, inclusive no próprio anime em episódios. Algo que até então não havia visto nos demais filmes onde Broly está presente.

Considerando isso, o filme se passa logo após o torneio do poder, apresenta um pouco de nostalgia nas suas cenas e reformula alguns episódios do passado, à época do planeta Vegeta. Eu diria até que arruma alguns fatos, por assim dizer.

Sendo assim, o que nos apresentam é um Broly que foi totalmente criado apenas por vingança e desejo de luta e morte. Entretanto, os desejos são impostos a ele. Broly não é assim por natureza. No meu ver, este “novo” Broly, apesar de ser fenomenal e incrível na arte da luta e das batalhas, o seu desejo não é estar envolvido nelas. E isso para quem conhece muito bem os filmes de Dragon Ball vai bem para o lado oposto do que ele era.

Ainda devo ressaltar que fui surpreendido com as cenas de batalhas. As mesmas foram muito bem  laboradas e pensadas, apesar de super rápidas e já estar acostumado ao estilo do anime. Até eu fiquei meio perdido no meio delas, tentando acompanhar. Independente disso, você fica preso ao que se passa na tela, não tem como tirar os olhos dela, nem por um instante.

Para se pensar

E o filme ainda é capaz de surpreender ainda mais, portanto eu digo, vale a pena ir no cinema e assistir. Tanto que o roteiro está conciso e bem elaborado; já consigo até imaginar onde isso vai parar, ou melhor, “não vai parar”. Mas enfim, dessa vez temos até assuntos muito delicados sendo mostrados em cena. Assuntos que hoje estão muito em pauta nas mídias e gostei bastante dessa atenção vinda da equipe de produção.

 

O auge da animação fica por conta da fusão de Goku e Vegeta, levando ao aparecimento de Gogeta. E ainda tem cenas que só fizeram os fãs ficarem em alvoroço e querer ainda mais. Porém, não vou contar nada além disso.

Momento inesperado

Além de todo o filme do Dragon Ball Super – Broly, tivemos a grande e boa surpresa: a presença de alguns dubladores do anime. Dentre eles estavam: Wendel Bezerra, que dubla o Goku; Alfredo Rollo, que dubla o Vegeta; e a Tânia Gaidarji, que dubla a Bulma.

Foi muito legal ter a presença deles por lá e poder conversar com os mesmos logo depois da sessão. Um agradecimento especial à equipe de produção e aos dubladores que proporcionaram esse momento aos fãs e ao pessoal da imprensa que lá estavam.

E fora isso, ainda tivemos acesso à cenas exclusivas de Alita – Anjo de Batalha que estreia em fevereiro nos cinemas. Tendo como um dos produtores o cineasta James Cameron, de Avatar e Titanic, esse filme promete, viu! As cenas de interação de uma personagem em CGI com atores reais e cenários reais estão belíssimas. Com certeza estarei lá para conferir essa produção.

 

Olá pessoal, o PPN foi à pré-estreia de A Forma da Água a convite da FOX e sim, o filme de Guillermo del Toro está ótimo, vale a pena ir conferir e vou dizer o porquê agora para vocês.

Em A Forma da Água temos Elisa Esposito (Sally Hawkins) como uma funcionária do setor de limpeza de uma base militar nos Estados Unidos no período pós-guerra, na década de 50, que em determinado momento se encontra com uma criatura recentemente capturada e levada para um dos laboratórios da base. Porém o encontro dos dois se dá de maneira profunda, uma vez que Elisa tem uma sensibilidade aguçada e também é muda, se comunicando por sinais, o quê, de alguma maneira, lhe permitiu compreender a criatura.

Se já tiveram a oportunidade de assistir a outro filme: O Labirinto do Fauno, ficará ainda mais fácil compreender quando lhes digo que o toque mágico de del Toro se faz presente durante toda a trama de A Forma da Água; pois o diretor mescla de maneira tão perfeita o real com o imaginário que muitas vezes me perguntei se o que estava vendo naquele determinado momento era uma história totalmente posicionada no mundo real ou fruto de uma mente criativa em cima de fatos de uma vida passada que agora viajava em momentos surreais.

E isso é algo que prenderá sua atenção juntamente com o enredo e o texto bem trabalhados, não precisamente nos diálogos, mas no encadeamento dos fatos e seus acontecimentos, bem como seus desdobramentos que levam o filme até seu clímax com aquela expectativa do que o diretor/roteirista del Toro nos reservou.

E é importante mencionar que é um conto para adultos, com classificação para maiores de idade, uma vez que há cenas fortes e muito profundas que merecem um processo reflexivo para compreende-las à maneira como a qual ele teve a intenção de nos fazer pensar.

E isso não é nem pelo fato de conter cenas de nudez, que por sua vez são retratas na maior parte como algo natural entre a personagem principal e a criatura com a qual tem contato, pois o corpo não passa de uma vestimenta para a nossa essência; mas sim porque o filme retrata de maneira forte as monstruosidades que um ser humano pode cometer mediante seu egoísmo, orgulho, avareza, entre outros.

Também agradou bastante a forma como os núcleos do filme foram inseridos, desenvolvidos e encerrados, alguns deles, sem precisar de maiores explicações prévias ou póstumas. Além disso, a retração fiel à situações cotidianas da época também valorizaram e muito a trama.

Contudo, acredito que o ponto mais relevante seja de fato a forma como poderemos interpretar os sentimentos de Elisa e sua relação com a criatura. Fica claro como se identifica com esta última, pois Elisa vive um mundo aparte daquele em que mora, trabalha, se alimenta e cumpre com suas obrigações rotineiras e tanto ela, como a criatura, ambos se veem além das questões de diferenças físicas, raciais, sociais, de gênero ou qualquer outra, elas simplesmente não existem ali. Eles se veem apenas por suas essências, e isto é uma das coisas mais cativantes neste filme.

Recomendo que assistam, valerá muito conferir esta obra de Guillermo del Toro.

O lançamento do filme será em 1º de Fevereiro.

Ontem, em pleno primeiro de Abril, foi confirmada a classificação indicativa do filme Deadpool. Porque isso é importante? Muito se falava sobre a classificação ser PG-13, ou seja, para maiores de 13 anos. Com essa classificação não pode haver sangue, palavrões e coisas legais do gênero.

Classificação-Deadpool1

O fato é que essa classificação vai contra tudo que pode se esperar de um filme do Deadpool. Então, para não falarem que eu estou de sacanagem ou que era pegadinha, esperei passar o dia da mentira para mostrar a vocês o tweet do Ryan Reynolds:

Classificação-Deadpool2

Ou seja, a classificação será PG-13, mas ninguém precisa entrar em pânico porque ainda assim, o filme terá muita ação. Pelo menos foi o que garantiu Reynolds em sua rede social…

Classificação-Deadpool4

Mais tarde, ele publicou um vídeo onde dá uma entrevista e comenta sobre o assunto com Mario Lopes, do canal JoBlo. O jornalista inclusive, confirma que Deadpool tem que ser um filme feito para a família mesmo! Assistam que vale a pena:

Mano, que foda! Sério, eu quase morri aqui! Não vou gritar, por em maiúsculo ou negritar tudo para não chamar a atenção de quem não viu o vídeo, mas aqui é Deadpool, ca#$@*&o!! Classificação PG13 é uma ova e se encher o saco, leva cadeirada do Mercenário Tagarela!

Classificação-Deadpool3

A classificação está confirmada pela 20th Century Fox: será “R – Restricted”, ou seja, menor de 17 anos precisa entrar acompanhado de um adulto. Podem esperar mortes, sangue, bombas, palavrões, sexo entre unicórnios franceses e tudo mais que o nosso querido mercenário tem direito!

Ah, detalhe: aquele Deadpool é o Ryan Reynolds com o uniforme, ok?

Sérião, eu queria ver a cara de todos os haters agora!

Posso dizer que eu avisei? Posso? xP