Escolhidos para você

603 posts encontrados na categoria Vídeos

Esse mês a Disney tá inspirada! Depois de liberarem teasers e pôsteres de Toy Story 4, agora foi a vez de revelarem materiais dos live actions de seus filmes com animais como protagonistas: Dumbo e O Rei Leão. Ambos produzidos em CGI, o que faz surgir aquela discussão “é live action ou uma animação com mais tecnologia?”. Independente da classificação, pelos trailers a gente já percebe que vamos reviver todas as emoções das animações originais!

Começando com O Rei Leão… O filme vai estrear nos Estados Unidos no mesmo mês que a animação de 1994 estreou, em julho, mais precisamente no dia 19. O trailer já chegou batendo recorde, alcançando 224,6 milhões de visualizações nas primeiras 24 horas, consequentemente se tornando o maior lançamento de trailer da Disney na internet. Agora vocês pensam… Se o primeiro trailer chegou com essa força toda, imagina o filme!

Apesar de vermos cenas bem parecidas com o desenho, o músico Elton John – que trabalhou na trilha do filme de 1994 e também participará desse – afirmou que novas canções estão sendo compostas para a releitura e algumas das mais famosas ficarão de fora. É o caso de “Se Preparem”, cantada pelo vilão Star, e “Relatório Matinal”, cantada pelo Zazu.

“Quatro das canções originais estarão no filme. São elas: ‘Nesta Noite o Amor Chegou’, ‘Hakuna Matata’, ‘O Que Eu Quero Mais é Ser Rei’ e ‘O Ciclo Sem Fim’. E no final teremos uma música de fechamento, além de estarmos em contato com o pessoal da Beyoncé para talvez eu e Tim Rice criarmos algo para ela. Tudo isso vai acontecer em 2019 e será incrível. Vocês vão ver”. – Elton John

Dirigido por Jon Favreau, que também foi responsável pelo live action de Mogli – O Menino Lobo, o longa conta com nomes no elenco como James Earl Jones interpretando novamente o Mufasa e a cantora Beyoncé no papel de Nala.

Confiram a sinopse oficial:

A Disney e o diretor Jon Favreau realizam uma nova jornada na savana africana onde um futuro rei nasce. Simba idolatra seu pai, o Rei Mufasa, e leva a sério seu futuro real. Mas nem todos do reino celebram sua chegada. Scar, o irmão de Mufasa e anterior herdeiro do trono, tem seus próprios planos. A batalha pela Pedra do Reino será repleta de traições, tragédia e drama, resultando no exílio de Simba. Com a ajuda de uma curiosa dupla de novos amigos, Simba deverá descobrir como crescer e tomar o que é seu por direito.

Agora vamos falar de Dumbo! O remake da animação de 1941 tem previsão de estreia para março de 2019, com direção assinada por Tim Burton. No elenco, nomes de peso (não levem isso como um trocadilho infame) como Colin Farrell, Eva Green, Michael Keaton, Danny DeVito e Alan Arkin.

A história segue Holt, um antigo astro de circo, personagem de Colin Farrell, que retorna à tenda depois de voltar da guerra. Lá, ele é encarregado pelo dono do circo, Max Medici, interpretado por Danny DeVito, de cuidar de um elefante recém-nascido que é motivo de chacota no show por causa de suas grandes orelhas. Quando os filhos de Holt descobrem que o elefante consegue voar, o persuasivo Vandevere, papel de Michael Keaton, e a artista Colette Marchant, vivida por Eva Green, entram na trama para transformar Dumbo em uma estrela.

Alguém ainda tem dúvida que 2019 será um ano incrível para os cinemas?

De surpresa, a Disney Pixar liberou os primeiros teasers e pôsteres de Toy Story 4. O primeiro vídeo não mostra muitos detalhes, mas já podemos ter um vislumbre de um novo personagem, o brinquedo Forky.

Já o segundo é um pouquinho mais longo e somos apresentados aos personagens dublados por Jordan Peele e Keegan-Michael Key, chamados Bunny e Ducky, que são brinquedos de uma barraquinha de um parque de diversões. Os dois estão comentando sobre o primeiro teaser do filme e tirando sarro dos protagonistas Woody e Buzz, que aparecem no final do vídeo.

Quanto aos pôsteres, são bem minimalistas, mostrando apenas cada personagem sozinho em um fundo marrom.

Por estarem sozinhos nas artes, pode ser um indício de que os boatos sobre uma possível despedida do brinquedo preferido de Andy são reais. Junta ainda o fato de que Tim Allen, a voz de Buzz Lightyear, deixou os fãs aflitos ao contar que o roteiro o deixou tão emotivo que ele quase não conseguiu superar.

Pixar, por que fazes isso com a gente?

Segundo o ator Tom Hanks, dublador de Woody:

“Quando você grava Toy Story, você está numa sala com todo a equipe. Quando foi o meu último dia de gravação, eu quis ficar de costas para todos, porque normalmente ficamos frente a frente e aí eles podem olhar pra você e comentar sobre as cenas. Mas dessa vez eu não queria olhar pra eles e eu fingi que eles também não podiam me ver. Quando eu percebi o que estava acontecendo, eu pensei ‘uau, isso aqui vai ser histórico’.”

Outro boato que ronda a internet é acerca do vilão do filme. Baseado na teoria de que todas as produções da Pixar se conecta, um YouTuber acredita que um boneco que aparece no berço de Zezé em Os Incríveis 2 seja o antagonista de Toy Story 4. Faz sentido porque o estúdio costuma mesmo colocar personagens futuros em filmes que antecedem suas estréias.

O quarto filme da franquia chega aos cinemas depois de quase 9 anos desde o lançamento do terceiro, e mais de 20 anos depois do primeiro. A data prevista é em 20 de junho de 2019. A direção está a cargo de Josh Cooley, com roteiro assinado pela dupla Wil McCormack e Stephany Folsom.

Confiram a sinopse abaixo:

Woody sempre teve confiança sobre o seu lugar no mundo e sua prioridade é cuidar da sua criança, seja Andy ou Bonnie. Mas quando Bonnie leva um novo brinquedo relutante chamado Forky para o quarto, uma viagem ao lado dos velhos e novos amigos mostrará a Woody como o mundo pode ser grande para um brinquedo.

É, não vai ter um olho seco saindo desses cinemas. Quem tá preparado psicologicamente ansioso?

O musical Anastasia estreou na Broadway de Nova York em maio de 2016 e segue em cartaz desde então (com algumas alterações no elenco original). No mês passado, o espetáculo iniciou sua turnê pelos Estados Unidos (também com um elenco novo, já que o de NY permanece em exibição) e, esse mês, aconteceu o ponta pé inicial da turnê europeia, começando com a Espanha e Alemanha (cada qual com artistas da respectiva nacionalidade e músicas adaptadas para a língua do local).

Clipe de todas as “Anastasias” – a de NY, a da turnê norte-americana, a da Espanha e a da Alemanha – cantando um dos números do musical.

A peça é inspirada na animação de mesmo nome da Fox lançada em 1997, tendo a protagonista muitas vezes confundida com uma princesa da Disney, kkkk. Por sua vez, o filme retrata de forma romantizada a suposta sobrevivência da grã-duquesa russa Anastasia, da dinastia Romanov, durante a Revolução Russa da década de 1910.

Anastasia da animação X Anastasia da vida real

Em julho do ano passado, eu tive a oportunidade de conferir o musical em Nova York e, para a minha sorte, com o elenco original, que contava com Christy Altomare como Anastasia, Derek Klena como Dmitri, Ramin Karimloo como o vilão Gleb e John Bolton como Vlad (desses, apenas Christy e John continuam na montagem).

Sendo uma estudiosa da dinastia Romanov, escrevi uma resenha do espetáculo citando algumas comparações tanto com a história legítima como também com a animação. Espero que gostem <3

A peça possui alguns pontos diferentes do longa. Isto, por sua vez, acaba por ser um aspecto positivo, uma vez que o mesmo carrega mais referências históricas. As datas e a cronologia citadas são mais concisas; no filme, Anastasia perde-se em 1913, aos 8 anos de idade, sendo reencontrada aos 18. Na peça, Anastasia – não fica claro como – foge da Revolução Russa em 1917, reaparecendo 10 anos depois, aos 27 anos de idade, dado que aproxima-se mais dos eventos factuais, caso, é claro, ela realmente tivesse sobrevivido. No longa, o antagonista é Rasputin, já nos palcos da Broadway, o mesmo sequer dá as caras. Desta vez, o antagonista é a própria Revolução, personificada em Gleb, o filho de um dos soldados que assassinou a família imperial.

O espetáculo tem início com a despedida de Anastasia e sua avó, Maria Feodorovna. A imperatriz viúva está indo à Paris e entrega à sua neta predileta uma caixinha de música e um pingente, prometendo buscá-la um dia. Em seguida, um baile inicia-se no palácio, e toda a família encontra-se reunida. O vestido da czarina Alexandra destaca-se com sua quantidade de brilho, sendo um dos figurinos mais belos da peça. Todos começam a dançar e se divertir, e até fazem uma alusão à hemofilia, doença do jovem czarevich Alexei, quando este, de repente, cai enquanto dança, trazendo todos ao seu redor, preocupados com sua saúde. De repente, estoura a Revolução. O assassinato da família imperial não é mostrado, mas fica subentendido, sendo impossível não sentir a aflição e desespero carregados na cena. Vidros se quebram, a família corre de um lado para o outro, o cenário torna-se vermelho. Maria Feodorovna aparece em Paris, chorando ao receber a notícia. Há uma passagem de tempo, onde é mostrada a sombra de Lenin, ambientando o espectador, agora, em um novo período, o Leningrado. A música do filme Rumor in St Petersburg tem início, e podemos ver Anastasia varrendo o chão da rua. O antagonista, Gleb, e a jovem tem seu primeiro contato, quando o mesmo lhe dá uma cantada. Até então, ambos não sabem quem são um e outro.

O rumor de São Petersburgo é sobre a grã-duquesa Anastasia, que teria supostamente sobrevivido ao assassinato. Maria anuncia uma recompensa para quem a encontrasse, e enquanto Vlad e Dmitri tentam achar alguma moça para fingir ser Anastasia e conseguirem a recompensa, Gleb reluta em acreditar que seu pai tenha falhado. Entretanto, ele decide terminar o serviço e matar Anastasia, caso os rumores se mostrem verdadeiros.

Anastasia não lembra de nada do seu passado, mas quer ir à Paris por causa de um pingente que carrega desde criança. Ela, então, fica sabendo que Vlad e Dmitri tem uma passagem extra. Eles se encontram e a convencem de que ela pode ser a grã-duquesa. Vale ressaltar que, diferente do filme, Dmitri não era um empregado do palácio, embora ele e Anastasia tenham tido um pequeno contato quando crianças. Vlad, por sua vez, costumava fazer parte da corte. Enquanto os dois tentam relembrar este encontro, a jovem canta Once Upon a December. Aliás, outro aspecto que diverge entre o longa e a peça é o relacionamento entre Anastasia e Dmitri. Na peça, a afinidade de ambos é quase imediata.

Antes de ir à Paris, Gleb fica sabendo que Vlad e Dmitri encontraram uma potencial grã-duquesa, e vai atrás dela ameaçá-la. Ele lhe diz para não acreditar em contos de fadas, alertando-a que isto pode-lhe custar a vida. Ela não dá ouvidos, e parte rumo à Paris com seus novos amigos. Gleb tenta boicotar a viagem, enviando soldados para impedi-los de sair da Rússia, mas é em vão. Quando os três chegam em Paris, Anastasia canta Journey to the Past. Este é o fim do Primeiro Ato.

O segundo ato do musical é ambientado em Paris e conhecemos Lily, amiga de Maria Feodorovna. No filme, a tal amiga se chama Sofia. Eu, particularmente, gostei da alteração do nome da personagem, uma vez que Maria realmente possuía uma dama de nome Lily. Além disso, Lily também era, na vida real, o nome de uma outra amiga íntima da czarina Alexandra, mãe de Anastasia, e que chegou a acompanhar a família imperial no início de seu exílio. Mais tarde, Lily conheceu a polonesa Anna Anderson, que na vida real tentou se passar por Anastasia quando a morte dos Romanov ainda era um mistério (eles foram assassinados em 1918 e seus corpos encontrados apenas nos anos 70).

Voltando para o mundo fictício… Lily é uma personagem cômica e arranca boas risadas da plateia. Ela e Vlad tiveram um caso no passado e eles relembram os bons tempos da corte. Ele a faz ser a ponte para o encontro de Anastasia e Maria. Neste ponto, Maria já havia desistido de encontrar sua neta. Lily aparece em seu quarto tentando convencê-la de ir a um recital de ballet, e neste momento, vemos retratos reais da família no cômodo da imperatriz viúva. Há umas 3 fotos, sendo que, uma delas é a do retrato oficial de 1913 (foto abaixo).

A verdadeira família Romanov. Da esquerda para a direita, na fileira de trás: Maria, Tatiana e Olga, irmãs mais velhas de Anastásia. No centro: seus pais, Alexandra e Nicolau II. Anastasia está sentada à direita e seu irmão mais novo e herdeiro do trono, sentado na frente dos pais.

Lily, Maria, Vlad, Dmitri e Anastasia vão ao teatro. Eles não sabem, mas Gleb também está no local, seguindo todos seus passos. Eles cantam Quartet at the Ballet, uma música original do musical, e pra mim, uma das melhores. É neste momento, também, que Anastasia traja o icônico vestido azul, que na versão Broadway é muito mais rico em detalhes.

A esta altura, Dmitri já sabe que Anastasia é realmente a grã-duquesa, e faz de tudo para Maria aceitar conversar com ela após o teatro. Esta parte segue como no filme. Elas se encontram, se reconhecem, Anastasia briga com Dmitri quando descobre que tudo ocorreu por uma recompensa, mas volta atrás quando Maria conta que ele negou o dinheiro. A avó diz que Anastasia pode escolher qual caminho tomar, e que sempre estará ali para ela.

Entretanto, antes de ir atrás de Dmitri, Anastasia depara-se com Gleb. Este é um dos momentos mais angustiantes do musical. Gleb aponta a arma para Anastasia, que não se abala e o enfrenta. Enquanto isso, a família imperial aparece ao fundo, com soldados apontando armas para eles, fazendo uma comparação e lembrança da situação passada e do presente. Anastasia diz que Gleb pode atirar, pois assim ela ficaria ao lado daqueles que ama. O vilão por sua vez, abaixa a arma e diz não ter coragem de atirar.

Anastasia se encontra com Dmitri e decide fugir com ele. A peça encerra-se com Maria na França e Gleb na Rússia. Ambos estão fazendo pronunciamentos oficiais sobre Anastásia. Eles decidem esconder a história e mantê-la como um conto de fadas. Maria faz isso para proteger a neta, e Gleb, para manter a honra do pai.

Citei na resenha apenas as músicas mais famosas do filme (eles cantam Learn To Do It também), mas há muitas outras originais e lindíssimas, como In My Dreams e In A Crowd Of Thousands (cantada quando Dmitri descobre que Anastasia é realmente quem eles procuravam). Uma curiosidade é que a canção Stay, I Pray You, interpretada por Anastasia, Gleb, Vlad e Dmitri quando partem para Paris, contém um sample da música cantada pelo personagem Rasputin da animação (ele não aparece na peça, mas ganhou uma referência!).

Deixei o local com lágrimas nos olhos e muito satisfeita. Por fim, consegui autógrafos dos atores – bem fan girl mesmo. Eles foram super simpáticos, o que aumentou ainda mais minha admiração pela obra.

Há muitos indícios de que o musical tenha uma adaptação brasileira. Vamos torcer para que isso ocorra logo, pois é um espetáculo que vale cada centavo, é apaixonante e deixa saudade!

* Como é proibido tirar fotos no teatro, todas as fotos utilizadas no post são do meu livro do musical.