23
out
2017

Crítica: A Morte te dá Parabéns

Postado em | Cinema, Crítica, Resenhas

Fazia muito tempo que eu não ia no cinema assistir a um filme de terror. Mas juntei a família e fomos conferir o terror teen A Morte te dá Parabéns.

Expectativa: A história não tem nada de revolucionária. Então eu esperava um um enredo criativo que fizesse com que esse filme fosse diferente de outros que utilizam mesmo princípio de “ficar preso no mesmo dia em looping eterno”.

Realidade: Antes de mais nada, tenha em mente que é um filme teen. Por isso ele tem uma mensagem, um pouco de humor e lições de moral. E o que faz com que seja diferente é justamente o mistério que envolve a morte da personagem principal.

Na sinopse, Tree (Jessica Rothe) é uma jovem estudante que trata mal os meninos, desdenha das amigas e não parece estar muito disposta a atender as ligações do pai no dia do aniversário dela. No fim do mesmo dia, no entanto, ela é brutalmente assassinada por um mascarado. Acontece que ela “sobrevive“, ou melhor, acorda no mesmo e fatídico dia, numa espécie de looping macabro, que termina sempre com a morte da garota. Repetir, seguidamente, o mesmo dia, por outro lado, dá a Tree a chance de investigar quem a está querendo morta e o porquê.

Filmes em que o personagem principal volta no mesmo dia repetidas vezes normalmente tem como objetivo descobrir o motivo pelo qual o personagem vive esse looping. Mas no caso de A Morte te dá Parabéns isso não é importante. O importante é saber porque Tree é brutalmente assassinada sem que aparentemente existe um motivo para isso.

A cada vez que ela volta e tenta descobrir o seu futuro assassino, acontecem diversas reviravoltas e você sempre acha que descobriu quem é o culpado. Em uma certa cena, eles dão um Spoiler e se você for uma pessoa atenta e conseguir conectar os pontos talvez descubra antecipadamente quem é que está por traz da mascara de bebê. Caso contrário, vai ficar só pra ultima cena mesmo

Em resumo a premissa é batida mas o enredo divertido, leve e curioso (e não exagera nos sustos) faz com que o filme proporcione uma boa diversão para quem gosta de bancar detetive no cinema!

7 Mascaras de Bebe de 10 possíveis (o filme ganha pontos extra pela referência muito pertinente de “O Feitiço do Tempo”! xD)

Se você não foi ver ainda, e tiver de bobeira no shopping, vale a pena conferir!

Mais alguém assistiu? O que vocês acharam?







7
jul
2017

Critica – Homem-Aranha: De Volta ao Lar


Por Lívia Jurkowitsch

Ontem estreou o tão aguardado novo filme do Homem-Aranha. Mais ou vez o hype em cima de um filme tão grande que eu decidi não ver nada promocional do filme, assisti um ou dois trailers e só. Preciso confessar que o Homem-Aranha é um dos meus super-heróis menos favoritos, simplesmente por conta da minha fobia de aranhas, então eu já vou com aquele medinho ver o filme.

Mas olhem só que maravilha! Não teve aranhas! Sim no filme a gente não precisa passar por todo aquele processo da picada da aranha e a morte do Tio Ben, que por sinal ninguém  aguentava mais ver. E eu preciso dizer, esse foi o filme mais legal que eu vi do cabeça de teia!

O filme é super fluido, e consegue misturar bem os momentos de comédia e tensão. E vamos combinar, que momentos mais legais de comédia! Eu não conseguia parar e rir, Tom Holland encarnou muito bem o papel do nerd cômico que todo mundo estava esperando! (Sorry Andrew Garfield, eu ainda respeito seu Homem Aranha!)

Um dos meus maiores medos era que o filme fosse um Homem de Ferro – De Volta ao Lar, já que Tony Stark recebe tanto destaque nos trailers do filme. Mas para a minha boa surpresa não foi! Alias todas as aparições de Robert Downey Jr. são muito legais e muito pertinentes para o filme. 

E o que dizer sobre Michael Keaton. O homem arrasou! Ficou ótimo no seu papel. Eu sempre achei o Abutre meio sem graça, não dava medo sabe? Sempre vi o coitado como um alivio cômico. Mas dessa vez… Socorro! Teve momentos no filme que eu tomei sustos e temi pela vida do Parker!

A trilha sonora e a fotografia do filme ficaram incríveis! As cenas especiais nem se fala! Eu adorei todos os efeitos visuais do Homem-Aranha, como ele não para quieto no chão, e como ele escala as paredes. Um único ponto que me deixou não muito feliz, foi que eles não explicaram muito bem os poderes dele… Não sabemos se a aderência às paredes vem da roupa, dele mesmo? Se o lançador de teia foi feito por ele ou pelo Stark? Ficou um pouco confuso.

Como eu sempre digo, da na mão de quem sabe o que esta fazendo, que sai coisa boa! Ah! utilidade pública, o filme tem 2 cenas pós créditos, e vai por mim, e última é a melhor de todas! 

 







5
jun
2017

Crítica: Mulher-Maravilha


Quem me acompanha no insta viu que fui no fim de semana assistir Mulher-Maravilha (quem não acompanha, demorou, né? Mas clica aqui pra ir la no meu insta e começar a seguir!). Agora vou contar para vocês o que eu achei do longa da mais famosa heroína da DC! Será que ele é bom mesmo?

Expectativa: era um meio termo bem tenso! Ao mesmo tempo que eu estava querendo muito que esse filme fosse bom pra caramba, a gente vinha de uma onde meio decepcionante da DC… Então eu acreditava que o filme seria bom, mas tinha lá meu pezinho atrás.

Realidade: que filmão da porra! Sério, vai ser difícil encontrar alguém que fale mal de Mulher-Maravilha. É o melhor filme da DC dos cinema atual sem sombra de dúvida nenhuma!

Se você estava preso numa redoma e não faz ideia do que o filme trata, essa é a sinopse: Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana Prince (Gal Gadot) nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) se acidenta e cai numa praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.

Houve um respeito muito grande com a mitologia da personagem e eu achei que a Diana foi retratada exatamente como deveria. Ela tem um misto de força com inocência que torna impossível para o espectador não se encantar de cara com ela. O longa mostra a princesa das Amazonas se descobrindo do início ao fim e isso é legal porque as surpresas nunca acabam. E conforme ela vai entendendo o mundo e se conhecendo, a gente também vai curtindo essa jornada com ela e se apagando mais e mais.

A DC usou uma formula mais leve que em seus filmes anteriores, com piadas e momentos cômicos bem encaixados, cores mais vivas e cenários deslumbrantes. Fora que a trilha sonora também é boa e você vai sair do cinema cantarolando a música tema da Mulher-Maravilha.

O longa tem alguns momentos clichês, mas até esses momentos parecem se encaixar perfeitamente e viram mais um elogio do que uma crítica. Se você lembrar da época em que o longa se passa e que a nossa heroína nunca viu nada fora da sua ilha, tudo vai fazer muito sentido!

Em resumo, a Mulher-Maravilha simboliza sim todo o poder feminino…. Mas o interessante é que ela não se importa com isso. Ela age naturalmente como se o machismo não existisse (já que para ela não existe mesmo) e só se importa em cumprir sua missão, nem que tenha que correr por um campo cheio de fuzileiros portando só um escudo e um laço.

Pode ir ao cinema esperando cenas épicas e muita diversão! E agradeça a DC por finalmente ter acertado a mão! 9 escudinhos de 10 possíveis!

Alguém mais já assistiu? Foi tudo aquilo que vocês esperavam?