29
set
2015

Resenha: Mangá AKB49


Oi pessoal! A resenha de hoje pode surpreender vocês. Mas não porque tem algo chocante e sim pelo exato oposto disso. Falaremos de algo que provavelmente vocês não imaginavam que eu resenharia, vendo o teor dos mangás que trago aqui. Mas sim! Eu gosto bastante desse título e vou falar um pouco deles para vocês. AKB49 – Renai Kinishi Jouretsu (As regras contra o amor).

Manga-AKB49-1

Primeiro uma breve explicação do tema: AKB48 é um dos maiores, senão o maior grupo Idol que já existiu no Japão. Não só pela fama que arrasta multidões de pessoas (boa parte deles são senhores de meia idade, com empregos banais e que torram tudo sustentando o grupo pelo amor platônico por uma das integrantes) para teatros e lojas de CD, quebrando recorde após recorde de vendagem, como também pelo enorme número de garotas que integram essa franquia em uma ou mais de suas dezenas de divisões, unidades e outros mais…

Manga-AKB49-2

Porém tanto no AKB48, como em todos os grupos Idol, as garotas são proibidas de se relacionar afetivamente enquanto estiverem integrando um deles e quando por alguma razão são descobertas quebrando essa regra, na maioria das vezes são expulsas do grupo, podendo até cair no ostracismo total da mídia e dos fãs, em um limbo do esquecimento e ódio.
E nesse mundo um tanto estranho para nós ocidentais, acostumados a ver as garotas famosas indo de um relacionamento para outro, quase sem pausa, que a nossa história se passa.

Manga-AKB49-3

Minoru Urayama é um rapaz sem ambições na vida que passa a maioria do seu tempo pensando na colega de classe Hiroko Yoshinaga, aquela garota que não chama muita atenção, mas sempre tem o admirador secreto e um tanto maníaco das histórias de romance. E em uma conversa na classe, Minoru descobre que Hiroko irá participar de uma seletiva para integrar a nova geração do AKB48. Sem pensar muito e com o intuito de ajudar, nosso protagonista vai até o local e em um turbilhão de emoções acaba não só se vestindo de garota e entrando também na seletiva, como passando nela e entrando no grupo! É então que em busca de ajudar Hiroko que também passou, Minoru Urayama se torna Minori Urakawa , uma garota um tanto estranha… e com razão!

Manga-AKB49-4

Mesmo tendo todos os clichês bobos de romances do tipo, este mangá acaba sendo extremamente engraçado quando abusa das fontes já tão usadas. E ainda assim consegue ser bem inovador quando expõe as mais diversas situações que estar no papel de Minoru possa criar.
Para os fãs e entusiastas do AKB48, o mangá está recheado de interações com as membros reais do grupo. Desde as famosas Atsuko Maeda e Yuuko Oshima, como até mesmo garotas que você pouco ouve falar. Também vale salientar que toda a obra se passa dentro de fatos que realmente ocorreram no grupo. Saídas de membro, escândalos…

Manga-AKB49-5

Sendo assim, sugiro essa obra para os fãs não só de AKB48, como também de uma boa risada e de uma leitura leve e descompromissada.

Mangaka – Reiji Miyajima
Publicado – Shonen Magazine
Durante: Agosto de 2010 até o momento
Número de volumes: 25 até o momento

E aí? Alguém já leu AKB49?







25
set
2015

Resenha: Perdido em Marte

Postado em | Cinema, Novidade, Resenhas

Na última sexta feira, tive a oportunidade de conferir o novo filme da Fox chamado “Perdido em Marte” e agora vou contar o que vocês podem esperar dessa aventura.

Perdido-em-Marte-Resenha1

Expectativa: sabendo que tratava-se de uma história de ficção onde um homem fica sozinho e isolado em outro planeta, eu fui esperando ver algo do nível de Astronauta – Singularidade (já leram a Graphic Novel do Astronauta da Turma da Mônica?).

Realidade: o filme é bem menos denso e com muito mais humor do que eu esperava. Mas isso não é uma crítica! A condução mesclando momentos de tensão e humor foi muito bem feita, entregando um longa intenso de forma tranquila e agradável.

Perdido-em-Marte-Resenha2

Na história (que é baseada no best-seller homônimo escrito por Andy Weir), o astronauta Mark Watney (Matt Damon) é dado como morto após uma feroz tempestade de areia em Marte e é deixado para trás por sua tripulação. Mas Watney sobrevive e encontra-se sem recursos e sozinho no planeta hostil. Apenas com suprimentos escassos, Watney deve contar com a sua criatividade, engenho e espírito para subsistir e encontrar uma maneira de sinalizar à Terra que está vivo.

Perdido-em-Marte-Resenha3

A milhões de quilômetros de distância, a NASA e uma equipe de cientistas internacionais trabalham incansavelmente para trazer “o marciano” de volta enquanto seus colegas de tripulação simultaneamente traçam uma ousada, se não impossível, missão de resgate.

Perdido-em-Marte-Resenha4

Matt Damon fica a vontade no papel, mas em poucos momentos passa a imagem de desespero que se espera ver de alguém que está perdido sozinho no espaço. Os atenuantes (contato com a NASA e com sua equipe, listas de músicas, cultivo de plantas) devem ser levados em conta, mas mesmo assim eu esperava um pouco mais de sofrimento.

Perdido-em-Marte-Resenha5

Mas apesar de ter o mesmo tema de “Gravidade”, a pegada é bem diferente e talvez a ideia seja ampliar o publico atingido. O importante é que Ridley Scott conseguiu fazer uma produção de qualidade que deve agradar os telespectadores, principalmente por ser diferente dos últimos filmes do gênero.

Perdido-em-Marte-Resenha6

Contando com um elenco muito bom, fotografia fantástica e uma trilha bacana, Perdido em Marte mostra o necessário sem grandes surpresas, mas mantém um ritmo bom e consegue prender a atenção, o que o torna um bom motivo para ir ao cinema.

Minha nota é de 8 batatas marcianas! xP

O longa da Fox estreia em 1 de outubro de 2015.

Alguém animado para assistir?







22
set
2015

Resenha: Mangá Akumetsu


Olá, pessoal!

Estou de volta com mais uma resenha de mangá e dessa vez vamos falar de um título sensacional. Akumetsu! Tenho certeza que vão curtir.

Resenha-Mangá-Akumetsu5

Tudo começa com a estudante Shiina Nagasawa, que acaba sendo forçada a se prostituir quando seu pai entra em falência por dívidas com o banco. Durante seu primeiro programa, com um velho e pervertido ministro, surge seu melhor amigo da escola, o engraçado e de cabelo espetado Shou Hazama, que usando a alcunha de Akumetsu e com uma estranha máscara, mata o velho à sangue frio clamando por justiça e logo em seguida morre com o lema “uma morte pela outra“.

Resenha-Mangá-Akumetsu1

Mesmo com esse acontecimento estranho, isso seria algo até simples comparado ao fato que no dia seguinte: Shiina vê Shou na escola, vivo e agindo como se nada tivesse acontecido. Como isso pode ser possível?
Com esse mistério rondando a cabeça do leitor em praticamente toda a extensão do mangá, quando ler Akumetsu você deve estar preparado para a enxurrada de informação sendo dada a cada página lida. É realmente muita coisa!

Resenha-Mangá-Akumetsu2

Isso porque a história é quase literalmente um tapa na cara da sociedade moderna. Com duríssimas críticas à módulos de governo, órgãos públicos, leis e administração de empresas, onde em boa parte disso muitos se ferram para o enriquecimento desenfreado de uns e outros.
Apesar da obra se passar no Japão, podemos facilmente fazer analogias com o que passamos em nosso país, ou até mesmo em qualquer outro.

Resenha-Mangá-Akumetsu3

Por esses motivos, o mangá as vezes tem um ritmo de leitura lento. Você pode precisar de algumas horas para digerir o que leu, catalogar tudo na cabeça e unir com o que já leu nos capítulos anteriores. Mas mesmo assim, eu duvido que conseguirá largar a obra na metade.
Fora isso, temos um traço muito bem feito, quadrinhos extremamente gráficos, com aquela violência que te fez querer ler mangás quando era moleque e alguns elementos secundários na história que dão o alívio cômico que você precisa de vez em quando.

Resenha-Mangá-Akumetsu4

Portanto, se eu pudesse dar uma nota, Akumetsu ganharia um DEZ, daquele narrados em apuração de escola de samba. Mas como aqui é uma resenha, eu digo apenas que é um mangá que você deve ler!

Mangaka – Yoshiaki Tabata (história), Yuuki Yugo(Arte)
Publicado – Shonen Champion
Durante: Outubro de 2002 até Abril de 2006
Número de volumes: 18

Alguém já leu Akumetsu?

* Post feito pelo colaborador Marcus Cavalcanti:

No Instagram: @marcusvcavalcanti
No Twitter: @soundblasterx