18
dez
2017

Ressaca Friends 2017, o que achamos?


Por Lívia Jurkowitsch

No ultimo final de semana tivemos em São Paulo o evento tradicional Ressaca Friends. O evento trouxe diversos artistas internacionais, e atrações legais para o púbico. Em um novo local, o pavilhão do Anhembi o evento foi bem interessante.

O local foi uma boa escolha em partes. Eu prefiro lugares fechados, pois sou cosplayer e estar em um ambiente fechado é muito bom para proteger do calor, e do tempo maluco de São Paulo. Porém eu achei que por ser no Anhembi seria um evento muito maior do que foi. gostaria de ter visto um evento mais espaçoso e transitável.

Uma atração nova que foi bem legal foi o Artist’s Alley! Bem no formato da Comic Con, foi bem legal ver esse espaço para os artistas mostrarem seu trabalho e estava bem grande! Uma das maiores áreas do evento.

As atrações  foram bem legais também, tivemos a presença do melhor dublador do Brasil, Wendel Bezerra, duas bandas internacionais: Mai Hoshimura, cantora de algumas musicas que tocaram em Bleach, D.Gray Man e Yakitate!!! Japan. A banda Snowell também marcou presença, eles  são autores de musicas para o animes Kiba, Gintama e Naruto.

Resumindo, o evento teve seus prós e contras. Prós foram a escolha de um local fechado e shows que estavam bem legais. Contras foram o pouco espaço e as atrações fora do palco principal. Lembrando que a Yamato, realizadora dos eventos como Ressaca Friends e Anime Friends foi recentemente comprada por um grupo de investidores, o Grupo Rograne, então podemos esperar algumas mudanças nesses eventos daqui para frente!

 







16
dez
2017

O que achamos da Comic Con Experience 2017

Postado em | Comic Con, Cultura, Eventos

A CCXP 2017 acabou e agora vou comentar um pouco sobre o maior evento de cultura pop do Brasil. Esse ano, por conta de problemas de agenda, só consegui ir mesmo no dia de abertura, na quinta-feira. Mas mesmo de longe nos outros dias, fiquei ligado acompanhando tudo o que rolava na maior Comic Con do mundo!

Primeiro, vou falar da minha experiência pessoal. Quem me acompanhou nos histories (se você ainda não me segue no insta, clica aqui porque você ta perdendo muita coisa legal!!) viu que apesar de ter bastante gente logo no primeiro dia, a feira estava até de certa forma tranquila. Tanto que me surpreendi com o fato de não ter pego fila pra almoçar (coisa que nunca aconteceu em anos anteriores). Mas apesar do almoço estar bem sossegado, outros tantos lugares estavam com filas que já desanimavam só de olhar! E eu, como só poderia ir em um dia, aproveitei o máximo para passear pela feira, visitar estandes e conferir tudo o que fosse possível sem ter que enfrentar as filas do terror.

O fato é que depois de 4 anos frequentando a CCXP, já deu pra aprender uma coisa: você tem que focar no que você quer fazer! Se você puder ir nos 4 dias, ótimo! Talvez consiga aproveitar um pouco de cada coisa. Mas se você for em um dia só, tenha bem definido na sua cabeça o que você vai querer fazer: Ir em algum painel, fazer compras, tirar fotos, conhecer quadrinistas, visitar estandes das grandes produtoras…. Enfim, por conta da quantidade absurda de gente, é impossível fazer tudo num dia só! E se você não tiver um objetivo definido, pode sair de lá frustrado com a sensação de que só ficou em fila o dia todo e não aproveitou nada.

Foto por Clay Oliveira – Blog Sai da Minha Lente

Mas vamos deixar essa questão um pouco de lado e falar sobre o evento. Será que a CCXP já pode ser comparada com as outras grandes Comic Cons do mundo? Se você quiser saber a minha modesta opinião, talvez a única diferença sejam os famosos que comparecem aos eventos lá e aqui.

Se por um lado tivemos Will Smith, a ganhadora do Oscar Alicia Vikander e a atriz Danai Gurira, que são personalidades realmente incríveis, ainda não temos um elenco estelar como outras CC. Mas aqui existem duas coisas pra se levar em consideração: a primeira é que é muito mais fácil para um ator americano ir na Comic Com San Diego – que fica nos Estados Unidos – do que conciliar a agenda para fazer uma viagem internacional para o Brasil. E a segunda é que o nosso evento tem só 4 anos de existência e é um processo demorado até que ele ganhe o respeito que merece.

Foto por Clay Oliveira – Blog Sai da Minha Lente

Sobre o painéis, se vocês ficaram sabendo da Netflix (quando Will Smith entrou cantando o tema de abertura de Um Maluco no Pedaço) e da Sony (que teve convidados surpresas e materiais inéditos) entre tantos outros, já sabe que a CCXP atingiu um patamar internacional nesse quesito! Não perdemos pra ninguém!

Então agora você me pergunta: Leandro, vale a pena ir na CCXP 2018? Eu respondo: programe sua vida para isso! A organização da feira ainda está aprendendo com os erros e cada ano vem se superando! 2018 tem tudo para ter a Comic Con Experience MAIS ÉPICA de todas e se eu tivesse que arriscar um palpite desde já, aposto que 2018 terá no Brasil não só a maior como uma das melhores Comic Cons do MUNDO!

Nos vemos lá ano que vem?







13
out
2017

Brasil Game Show #BGS10


Olá galerinha do Pausa Para Nerdices, aqui é a Clay e hoje eu vim falar um pouco da Brasil Game Show 2017, a maior feira de games que está acontecendo essa semana no Expo Center Norte. O PPN esteve na 10ª edição e conta tudo para você agora!

Estivemos presentes no primeiro dia de evento e logo de início fomos agraciados pela presença de Ed Boon e Hideo Kojima na cerimônia de abertura do evento e em seguida tivemos acesso aos dois pavilhões repleto de estandes. Conferimos em primeira mão as novidades da SONY e o seu VR. Do outro lado o stand do XBOX da Microsoft já vinha com força total e um simulador do Forza. Isso é só um pouquinho das coisas mais legais que estão por lá.

O ambiente está bem organizado com os corredores bem amplos, bem como os estandes também estão, então mesmo que o evento fique cheio, ainda assim creio que você terá um bom espaço para passear por lá. Por ser primeiro dia as filas para jogar estavam longe de serem longas, apesar de que jogos como FIFA 18, Marvel vs Capcom e COD World War II estavam bem disputados para serem testados.

Mas fora a área das grandes produtoras, gostaria de falar da presença forte das thirds que também traziam diversos freeplays para os jogadores. E vejo este como o principal ponto positivo da Brasil Game Show, podermos ter esse contato com as thirds e as produtoras independentes e assim conhece-las mais de perto, pois o potencial dessa galera é alto e é sempre bom ter novas ideias que possam alcançar o topo e melhorar o mundo dos games.

Tive a oportunidade de testar o simulador de corrida do Forza, e gente, o negócio é muito difícil, ele realmente o leva para dentro de um carro de corrida. O volante tem um peso considerável nas curvas, principalmente quando você tenta fazer o drifite, dá pra sentir como se as rodas estivessem travadas. Nem vou dizer que bati várias vezes e sai da pista muitas outras, mas a experiência vale muito a pena e você com certeza irá querer testar novamente só para ver se consegue domar aquele volante.

O VR da Sony por sua vez está com uma imersão muito mais profunda do que eu imaginava. Claro que a tecnologia ainda está no começo e engatinhando a passos um tanto quanto tímidos, mas fico imaginando como estará daqui uns 10, 20 anos. Talvez até antes mesmo desse tempo teremos coisas que hoje mal imaginamos, ou então com uma qualidade de jogo e qualidade gráfica que nos fará duvidar em que mundo estamos. Será que estou sendo muito otimista?

Queria falar também sobre a organização para o Meet & Greet Canon, que possibilita aos fãs que conseguirem entrar na fila, como também aqueles que não conseguem de poder ver o seu artista favorito a poucos metros de distância, com o palco em destaque e uma área ampla ao redor, todos podem ter um pouco desse gostinho mesmo que por um pequeno instante. Não pegamos a fila para ver o mestre Kojima de pertinho, mas olha a foto que conseguimos guardar de lembrança. Quando eu teria imaginado uma chance dessas, não é mesmo?!

A parte de alimentação está o de sempre, apesar de que desta vez não me pareceu tão variado assim, você encontra tanto lanches como pratos elaborados. Aliás, o lobby de imprensa estava bem organizado também, e confortável, o que por sinal é muito importante para quem tem de aguentar 5 dias de evento.

E como todo bom evento de games e outras coisinhas geeks, não poderia faltar as lojinhas e os cosplayers. Visitei algumas e encontrei muitos itens interessantes como apoiadores de livros estilizados, ursos de pelúcia zumbis customizados, camisetas, plaquinhas e muitos, mas muitos action figures e aquele game que você tá procurando, irá poder comprar em primeira mão por lá.

É isso pessoal, esse foi só um resumo de tudo que tem por lá na Brasil Game Show que vai até o dia 15/10. Então corre que ainda dá tempo de você conferir o evento.

Até mais.

Siga a Clay nas redes sociais

Blog: Sai da Minha Lente
Facebook: www.facebook.com/saidaminhalente
Instagram: @clayci