Escolhidos para você

A Disney soltou um tweeter recentemente que deixou os fãs de Star Wars eufóricos. Todos sabemos que a Disney esta expandindo o parque Disney Holywood Studios com uma nova área enorme de Star Wars, que vai ter diversas atrações novas, e será ambientado em uma espaço-porto. Para quem já viu as imagens conceituais o parque vai ser incrível e todo fã de estar vai ter o máximo de imersão que já um dia imaginaram.

Sendo essa um local onde naves chegam e parte, nada melhor do que ter uma Millenium Falcon em tamanho real e totalmente idêntica tanto por dentro como por fora. Você poderá visitar o interior do monte de sucata mais amado da galáxia, e não o suficiente a nave vai contar com uma atração própria, uma simulador de realidade virtual. A Disney anunciou “Pegue sem co-piloto e prepare para aterrizar. Imagem dos bastidores do desenvolvimento de Star Wars: Galaxy’s Edge.” e eles ainda soltaram uma imagem dos bastidores do parque:

Dois parques vão contar com a expansão de Star Wars, na Disneyland (Califórnia) será inaugurada em 2019 bem no começo do ano, e no Walt Disney World (Orlando) a atração chega no segundo semestre do mesmo ano. Será que já estamos ansioso?

 

 

Os jogos grandes não estão com nada ultimamente, o interessante agora é cavar as lonjas virtuais, seja ela no Playstation ou no X-Box. A descoberta do mês foi Hollow Knight. De inicio me pareceu um jogo bem simples, uma jogabilidade até que simples, e no formato plataforma. Mas é ai que as coisas ficam melhores.

Desenvolvido pela Team    Cherry (que é composta por 3 pessoas) Hollow Knight é um jogo extremamente profundo com uma história sensacional e um mapa pra á de grande. A história é contada aos poucos e não sabemos no nome do personagem com quem jogamos, no começo do jogo a única informação que temos é que existe uma infeção na cidade e que ela precisa ser contida. Ao longo do jogo, vamos descobrindo mais sobre a história daquele mundo, sobre a infeção e também da história do nosso personagem.

É muito importante que você vasculhe casa centímetro do mapa pelo menos duas vezes, pois cada nova visita é uma nova informação descoberta. O jogo vai te dando novos poderes ao longo dele, e inclusive umas das coisas que mais me deixou intrigada, foi que mesmo o mapa e seus itens devem ser conseguidos. O design do jogo é de tira o folego, e cada cantinho do jogo conta com um detalhe único.

A história é bem complexa, e você não vai entender ela logo de cara, pois vem fragmentada e um pouco fora de ordem, mas se esse é o seu estilo de jogo, continue jogando que aos poucos as peças vão se encaixando e tudo começa a fazer sentido, e então vemos como esse mundo é muito maior do que ele se projeta de inicio para nós. Curiosamente o jogo foi feito a partir das mecânicas de jogo que os criadores queriam e a história foi aplicada depois.

O jogo esta disponível para todas as plataformas e eu super recomendo que você vá explorar esse mundo novo.

Esse final de semana consegui finamente ver um filme que estava querendo ver já há algum tempo. Como ele ficou pouco tempo no cinema talvez você nem tenha ouvido falar dele, a propaganda foi bem sutil,, se não foi quase nada. Mas eu aprendi a suspeitar desses filmes, geralmente eles são meio ruins, mas as vezes a gente pode se surpreender, e foi o que aconteceu com Alpha.

Do diretor Albert Hughes, produtor de Do Inferno, Alpha conta a história de um menino, Keda, que vive na Europa há mais de 20 milhões de anos atrás. Ainda na era primitiva, onde a sobrevivência era tudo que importava. Na trama Keda é escolhido pelos chefes da sua aldeia para se juntar ao grupo de caça. Porém ele sofre um acidente, e tem que retornar para casa na companhia de um lobo, que não se mostra muito amigável.

O filme tem pouquíssimas falas, e todas são em algum dialeto inventado ou muito antigo. a fotografia do filme é incrível, com paisagens lindas e enquadramentos que são de tirar o folego. Existem algumas cenas que claramente são em CG, mas não é um detalhe que incomoda ou afeta a experiencia do filme. Você sabem que eu sou muito apegada a trilha sonora dos filmes, e essa foi incrível. As músicas casam muito bem com cada cena e são muito sutis.

É muito legal ver a evolução da relação entre Keda e o lobo durante o filme, interpretado por Kodi smit-McPhee, o Noturno de X-Men, o menino da um show de interpretação, trabalho que realizou na sua maioria sozinho ou com o cachorro que interpreta o Lobo. O filme também conta com a narração de Morgan Freeman. Ou seja, vale muito a pena ver!