Escolhidos para você

Eu tinha outra pauta para o post de hoje, porém se tornou NECESSÁRIO falarmos sobre as recentes declarações de JK Rowling, autora de Harry Potter, sobre as pessoas trans!

Já não é de hoje que JK Rowling faz postagens controversas em seu twitter, principalmente sobre transexualidade, porém até o momento tudo ficou muito nebuloso. Não sei se essa sensação de que não estava claro era por realmente não estar ou se nós simplesmente nos recusávamos a acreditar que alguém que criou um universo tão inclusivo, como o Mundo Mágico de Harry Potter poderia, de alguma forma, carregar preconceitos a respeito de algo que não deveria causar nenhuma confusão.

Eu fui uma das milhares de pessoas que acreditou que ela não se expressou bem, ou que como o assunto era um pouco “novo” na mídia mundial, ela não havia entendido bem o bastante. Faltava pesquisa e etc e deixei a água rolar, acreditando que tudo seria resolvido. Ainda mais depois da recente publicação de “O Ickabog”, que é um conto de fadas político, com foco no público infantil, por sinal, muito interessante e que demonstra um profundo conhecimento sobre política, bem como ela achata as minorias há séculos.

Porém, em dezembro, outras declarações a respeito de uma pessoa trans deixaram todos alarmados novamente, e nos últimos dias, Rowling deu novas declarações, no mínimo, assustadoras sobre o assunto transexualidade e todos voltamos a ficar de cabelos em pé.

Não irei transcrever os tuítes dela aqui, pois não acredito que valha a pena abrir debate para “certo ou errado”, num momento em que já ficou mais do que claro que está errado, muito errado, o posicionamento dela. Se quiserem ler a nota oficial que ela soltou, o pessoal do PotterIsh traduziu ela aqui.

Não vou discorrer também sobre toda a declaração, espero que vocês leiam e entendam da melhor forma possível, mas ficou extremamente claro para mim, que sim É falta de conhecimento, é alguém que acha que entendeu, mas que não entendeu nada. Ela fundamenta seu pensamento de uma forma extremamente clara e extremista, infelizmente. Colocando a conta do feminismo toda nos grupos “rad-fem”, embasando sua verdade em fatos terríveis.

Acreditar que uma mulher trans pode, de alguma forma, roubar qualquer tipo de direito de uma mulher cis, é equivalente a achar que não devemos ter mais direitos por eles serem um recurso limitado.

Direitos não são uma pizza! Um ter mais pedaços não deixa o outro com fome. Mulheres sofrem por serem mulheres, diariamente. Mulheres pretas sofrem por serem mulheres pretas. Mulheres trans sofrem por serem mulheres trans, antes de tudo, por muitas não saberem o que são, por se verem reféns de uma sociedade que não as aceita, que não as admite como o que são. NUNCA, JAMAIS veja essas três vertentes do feminismo como competidoras entre si. Enquanto mulheres brancas lutavam por direito à voto, mulheres pretas lutavam pelo direito de serem reconhecidas como seres humanos e mulheres trans lutavam pelo direito de existirem! São 3 movimentos extremamente fortes, válidos, e que lutam pelo mesmo ideal, porém os recortes como esses são necessários para que TODAS AS MULHERES sejam abrangidas.

Assim como a realidade de um homem trans, numa sociedade que ensina “homens a não chorarem” e coisas como “isso é profissão de mulher/homem”, também é extremamente sofrida.

Como pessoas trans vão se encontrar na sociedade se as pessoas cis as forçam a sempre estarem num terceiro patamar, exigindo que elas sejam rotuladas biologicamente e exigindo que pessoas trans carreguem o sexo biológico com o qual nasceram, como uma lembrança constante de que são diferentes, de que “nasceram errado” como muita gente ainda diz. “Pode ficar perto mas não mistura, tá?” Isso não pode mais existir!

Pessoas trans existem! Pessoas trans precisam de espaço para que suas vozes sejam ouvidas. Esse tipo de medo que JK Rowling está ajudando a disseminar apenas faz com que as pessoas trans tenham menos espaço. Eu tenho medo de ir num banheiro público sozinha por que homens héteros respeitam placas assim como respeitam nossos corpos: quando convém! Seja você mulher cis ou trans. Se um homem quiser se disfarçar de mulher para entrar num banheiro público e abusar de uma mulher, ele vai! Usando a palavra “trans” como fachada ou não usando. Mas o que toda mulher sabe é que se um homem hétero cis quiser fazer isso ELE TAMBÉM VAI! Pois a sociedade o protege e esse pensamento retrógrado a respeito das pessoas trans é algo que os exclui e os mata, assim como a falta de conhecimento que ela cita em defesa das suas declarações! O que acontece então com uma mulher trans se ela for obrigada a usar um banheiro masculino? Ela será bem aceita? Terá seu espaço respeitado? Ou sugerem que tenha um terceiro banheiro chamado “trans” onde homens e mulheres trans usem o mesmo espaço mesmo sendo de sexos diferentes? Parece um pouco com os banheiros separados por cor de pele, não? * leia a ironia *

JK Rowling, infelizmente, está deixando o trauma que sofreu no seu primeiro casamento, que é algo indizível e horrível, falar por ela. E em momentos como esses a palavra de uma pessoa que deixa um trauma pessoal se colocar à frente das necessidades e opiniões de pessoas pelo mundo, não pode ser levado a sério. O medo e o trauma que ela claramente carrega até hoje está claro no seu texto desesperado e a está cegando para a realidade das pessoas trans como um todo e deixando que ela veja apenas uma pequena parcela de pessoas que acreditaram que fossem trans, por falta de um conhecimento global e difundido sobre o que é ser trans, e voltaram atrás nas suas decisões, e se arrependeram de terem sido precipitados pela falta de conhecimento. Isso só nos mostra o quanto saúde emocional é importante, conhecimento sobre diversidade, educação sexual e terapia são coisas imprescindíveis para a sociedade que estamos construindo.

A coluna sobre Harry Potter não deixará de existir e minha admiração pela persona autora capaz de trazer esse mundo para nós também não, porém deixo claro que a minha opinião a respeito do assunto é completamente diferente da dela e que essa postura jamais terá o meu apoio.

Harry Potter, assim como muitas sagas no decorrer da história, ganhou vida própria. Ela vive em cada um de nós assim como suas mensagens e isso não irá morrer.

Obrigada por lerem até aqui! Até a próxima!