Escolhidos para você

Olá pessoal, tudo bom? Eu poderia estar vindo aqui para falar do adiamento MAIS UMA VEZ das filmagens de Animais Fantásticos 3, mas “esse bota casaco tira casaco” já me deixou tão desgastada que vamos aguardar termos notícias de verdade para postar, ok? Hoje vou trazer para vocês algumas informações sobre Varíola de Dragão, para você ficar esperto e se cuidar 😉

Enfim Páscoa! Em Hogwarts, as férias de Páscoa são um período de duas semana onde os alunos podem voltar para suas casas se quiserem, para passar as festividades com os parentes e retornar no início do último trimestre do ano. Boatos de que o Expresso de Hogwarts foi cancelado e que os alunos não voltarão para casa nas férias de Páscoa desse ano para evitar contato da escola com o corona vírus. Não tem feitiço cabeça de bolha que possa garantir que nenhum aluno se contaminaria em casa, não é mesmo? E não precisamos de outro surto, como o de varíola de dragão, infectando alunos e funcionários. Hogwarts aprende com seus erros 😉

Varíola de dragão é uma doença contagiosa no seu estágio de transmissão e os primeiros relatos dela datam de cerca do ano de 1300, podendo ter acontecido antes. A doença se contrai através do contato com dragões infectados e através da ingestão da carne contaminada, porém há fortes indícios que durante um determinado período da doença ela pode ser transmitida entre humanos.

Apesar de vastos estudos nos últimos 7 séculos e de uma cura, que foi desenvolvida no início do século XVII pela curandeira Grunhilda de Goremoor (que vocês conhecem como “A Bruxa de um olho só” da estátua que guarda a passagem secreta ente Hogwarts e o porão da loja Dedos de Mel), a Varíola da Dragão jamais foi completamente erradicada.

Atualmente o Hospital St. Mungus para Doenças e Acidentes Mágicos tem uma ala dedicada exclusivamente aos cuidados dos pacientes infectados por essa doença, que ocasionalmente ainda é vista em pequenos focos na população bruxa. Até mesmo Alvo Dumbledore já realizou pesquisas sobre a doença.

Elifas Doge, amigo de Dumbledore e que estudou com ele em Hogwarts, contraiu Varíola de Dragão quando era muito jovem, pouco antes de ingressar em Hogwarts, no final dos anos 1800 e conseguiu ser curado com o tratamento do St. Mungus, porém os pais das irmãs Goldstein, Tina e Queenie, poucos anos depois, não tiveram a mesma sorte e faleceram da doença.

A Varíola de Dragão, assim como a Covid-19, não é uma doença que ataca exclusivamente uma faixa etária ou uma parcela da população, ela está presente em todos os lugares. Desde o pequeno Elifas, no século passado, até Abraxas Malfoy, avô de Draco Malfoy, que também morreu em decorrência de complicações da doença, em meados de 1996.

Independente do bruxo fazer parte do grupo de maior risco, que são pessoas com outos problemas de saúde existentes e idosos, ou não, cabe à população jovem o cuidado permanente de não permitir que os pequenos casos de Varíola de Dragão se espalhem e acabem causando uma pandemia.

Então você que está pensando em sair de casa sem real necessidade nessa páscoa, ou pensando em convidar alguém para passar a páscoa na sua casa, lembre-se: Lord Voldemort ressuscitou porque tinha as suas Horcruxes e conseguiu um corpo porque apelou para magia negra. Se você não se enquadra nessa descrição, anota ai: QUEM NÃO RESSUSCITA, FICA EM CASA!

E ajuda a essa crise passa mais rápido, pois, todos nós queremos voltar a sair de casa e passear na rua!