Escolhidos para você

Olá pausadores, vamos falar de Capitã Marvel, a origem da primeira vingadora? Mas porque estou dizendo primeira vingadora. Bem, de certa forma, Capitã Marvel é o primeiro filme do MCU protagonizando uma heroína. Apesar de já termos visto Viúva Negra, Shuri, Gamora, Feiticeira Escarlate e muitas outras, todas ainda estavam alocadas em papéis coadjuvantes. Entretanto, agora, Capitã Marvel é a estrela mais brilhante.

O filme em si é um filme de origem, ao assisti-lo é possível se recordar dos primeiros filmes do Capitão América e do Homem de Ferro, em sua sua estrutura e apresentação.

Os três apresentam a a criação e construção do personagem, moldam e mostram sua história, fatos que alteraram sua vida e os tornaram os heróis e heroína que são hoje.

Sendo assim, é possível que depois de tantos filmes do MCU e da primeira parte de Vingadores: Guerra Infinita, tenhamos a sensação de que o filme deixou a desejar, ou de que ficou abaixo dos padrões. No meu ver, isso não é um problema e nem uma falha, mas sim que se faz necessário para a coesão da história e desta com os demais enredos.

Do filme

O filme da Capitã Marvel é bom e corresponde às expectativas mais básicas. Claro que se você estiver esperando muito mais, ou então uma sequência enorme de ação, pode vir a se decepcionar. Inclusive, tais momentos estão bem dosados. Contudo, o contraponto histórico e de memórias constitui a outra parte do filme.

Sabemos que o ciclo de 10 anos do MCU está prestes a finalizar com Vingadores: Ultimato. Também não temos nenhuma informação a respeito do que será produzido e apresentado depois de Homem Aranha: Longe de casa. Nada foi comentado a respeito dos principais personagens.

Desta forma, Capitã Marvel introduz no MCU mais informações sobre os Krees e nos apresenta também os Skrulls. Bem como a guerra de longa data que estes travam através da galáxia. É bem provável que a partir do que nos é mostrado no filme da Capitã tenhamos o próximo pano de fundo do MCU. O palco para mais uma década de filmes estaria então sendo montado já no final do primeira?

Aparências

Aliás, a maquiagem dos Skrulls está incrível, principalmente quando temos os takes em close nos atores. Por outro lado, temos também um momento bem relevante de autoafirmação da personagem principal. A Capitã precisa se afirmar e se posicionar em meio a toda a sua perda de lembranças e absorção de informações novas no desenrolar da trama. Tudo isso em muito pouco tempo. Talvez isso cause uma sensação de “corrida” com os fatos do filme.

No mais, o efeito de rejuvenescimento de Salmuel L. Jackson para o jovem Fury ficou surreal, por um momento parecia que eu estava vendo Pulp Fiction. Entendedores entenderão! A Capitã por sua vez, e por sua história acaba sendo mais séria e por vezes inexpressiva ao que ocorre à sua volta, nem por isso não deixa de mostrar que tem humor e carisma guardados. E certamente, o a melhor em cena foi Goose, a gata. O bichano atual muito bem, estava muito natural em todas as cenas e extremamente carismática para um Flerken.

Concluindo

Enfim, vale a pena sim assistir Capitã Marvel e já ir pensando no que podermos ter no futuro com a personagem, bem como em Vingadores: Ultimato. O filme é satisfatório e introduz bastante conteúdo na história do MCU, fechando alguns pontos soltos e atando nós. Assim, a trama se completa para o desfecho final no próximo filme com a segunda parte de Guerra Infinita.