Escolhidos para você

A cada ano, a Disney se mostra preocupada em retirar a imagem de donzelas indefesas de suas Princesas. Um exemplo recente é o filme WiFi Ralph, onde a cena com as princesas traz um monte de ironias acerca desses estereótipos e ainda mostra que todas elas conseguem não apenas se defender, como também serem verdadeiras heroínas salvando homens grandões em perigo.

Mas, ao mesmo tempo, sempre que surgem novos visuais promocionais das mesmas, parece que sempre incluem mais e mais brilho. Pensando nisso, o ilustrador e cartunista David Trumble “princesou” 10 das maiores mulheres influentes do mundo moderno e contemporâneo, mostrando que princesas não precisam de glitter para serem inspiradoras. São personagens reais, mulheres corajosas, pioneiras em diversas alas, feministas que lutaram pela igualdade de gêneros. Cada uma recebeu o seu título – mais que merecido – de Princesa da Vida Real.

Marie Curie “Nobel Princess” – primeira mulher a ganhar um Prêmio Nobel;

Anne Frank “Diary Princess” – jovem vítima do holocausto;

Ruth Ginsburg “Supreme Princess” – primeira mulher judia a ser nomeada juíza na Suprema Corte dos EUA;

Harriet Tubman “Abolition Princess” – lutou contra a escravidão e racismo e pela inclusão de mulheres no sufrágio;

Malala Yousafzai “Defiant Princess” – jovem paquistanesa que luta pelos direitos da mulher;

Hillary Clinton “Princess 2016” – primeira senadora mulher a representar Nova Iorque e duas vezes listada como uma das 100 advogadas mais influentes dos EUA;

Jane Goodall “Jungle Princess” – britânica primatóloga, etóloga, antropóloga e mensageira da paz das Nações Unidas;

Gloria Steinem “Trailblazer Princess” – escritora, jornalista, ativista social e figura política norte-americana reconhecida como líder e porta-voz para a mídia do movimento da libertação das mulheres nos anos 60 e 70;

Rosa Parks “Equality Princess” – símbolo do movimento dos direitos civis dos negros nos EUA;

Susan B. Anthony “Suffrage Princess”– sufragista, abolicionista e ativista de reformas educativas e trabalhistas.

Obviamente, por ser norte-americano, o artista focou apenas em personalidades de sua nacionalidade e poucas estrangeiras. Mas aqui no Brasil nós temos muitas figuras femininas que mereciam um título de princesa! Marielle Franco e Maria Quitéria são alguns exemplos. Quem mais a gente deveria enaltecer? Deixem nos comentários!