Escolhidos para você

Olás, meus caros amiguinhos! Tudo bom com cada um de vocês? Não que me importe, pura formalidade.

Meu grande amigo Lanzillotta, ou sei lá como ele se intitula no blog, me cedeu um espaço para escrever sobre algumas coisas para vocês, mortais. Ser fútil que sou, resolvi falar sobre futilidades. Começaremos por aparências!

As aparências interessam a todos, mas interessa particularmente aos nerds. Quem nunca deixou de chegar junto na paixão platônica por não se julgar bonito o suficiente?

nerd

Quem nunca resolveu assistir uma série, ou comprar uma action figure ou outra só por bater o olho? Compramos livros pela capa (como por exemplo o excelente livro do Conan, mas com a capa do filme – FAIL), e tantas outras obras. Quantas capas você olha de relance e já sabe do que se trata o livro? A teoria é a mesma, claro que em níveis diferentes, mas se aplica.

Então, aparências importam. Pra saber o quanto isso importava na vida de um cidadão médio, tenho conduzido um pequeno experimento social. Chama-se “Projeto Blazer”. Não sabe o que é um blazer? Google te responde, não vou dar aula pra ninguém.

blazer

Tem um principio muito básico esse “projeto”, simplesmente comecei a usar blazer pra todo lugar que eu fosse. Suit up and be awesome! Fiquei duas semanas me vestindo de qualquer jeito para trabalhar. Calças largas, tênis surrado, camisetas velhas e o pouco de barba que tenho não barbeava. Ninguém me criticou, nem me repreendeu. Até ai normal. Fiz algumas pesquisas, peguei uma graninha e comprei algumas peças-chave que me faltavam no armário, principalmente o tal do blazer.

nerd

Eis que, feitos os devidos ajustes (sim, ajustes. Costureiras existem pra isso e você não fica parecendo um guri que pegou as roupas do pai ou um segurança #fikdik) e comecei a me vestir com um pouco mais de sofisticação. As vezes me vestia normalmente, tênis e camiseta, mas sempre com o blazer. As pessoas começaram a me tratar muito melhor. Mas muito mesmo! Todos os encontros que tive, o primeiro comentário foi sobre minha roupa.

andrew

Todos julgamos o tempo todo as informações que recebemos pelos nossos sentidos, isso que nos permitiram sobreviver e se adaptar. Nossa aparência importa mais do que acreditava importar, por mais que deteste aceitar isso. Exemplo: o Slot é um cara legal, mas é feio que dói. Goonies é filosofia, é vida, é magia, pessoal.

robert

E assim, na grande maioria das vezes nossos olhos que nos guiam para nossos interesses. Vivemos num mundo de imagens, aparências. Na natureza os indivíduos gastam muita energia aparentando saúde para poderem se reproduzir, e vocês humanos não fogem dessa regra. A sociedade funciona assim, e certo ou errado, não cabe julgar. É assim que a banda toca.

robert

Minha conclusão: me visto razoavelmente melhor, minha vida social teve uma melhora e pretendo continuar assim. Recomendo refletirem sobre isso, e quem sabe, façam o mesmo. Assim vocês tiram suas próprias conclusões. Hoje em dia, com esse boom da “moda nerd” tá fácil você se vestir bem, sem deixar de perder sua essência, seu modo particular de se vestir. Camisetas engraçadinhas é o que não faltam.

Lembrem-se: o Batman é a roupa dele. O Bruce Wayne é o mesmo.